18 janeiro 2021 - 5:20

Polícia encontra no RS suposto local de fuga usado por quadrilha após crime em Criciúma

Equipes do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) encontraram na madrugada desta quinta-feira (3) o local supostamente utilizado como transição para a fuga da quadrilha que roubou uma agência bancária em Criciúma (SC), com trocas de tiros com os policiais militares na madrugada de terça (1º).

Foram encontrados, dentro da residência em Três Cachoeiras (RS), vários vestígios que indicavam a participação no assalto ao banco: acionador para explosivos, um veículo e roupas com sague. Um homem foi detido.

Segundo a polícia, o local teria sido usado como transição para a fuga dos assaltantes. Foram encontradas roupas com sangue, acionador de explosivo e um furgão. O homem é o sétimo preso suspeito de participar do crime.

Além do Comando de Operações de Busca, Resgate e Assalto (Cobra), do Bope de Santa Catarina, participam da operação policiais da Brigada Militar do Rio Grande do Sul.

Além do detido nesta manhã, a polícia prendeu dois suspeitos em São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre na quarta-feira (2).

Os outros três suspeitos foram localizados entre a divisa de Torres, no Litoral Norte gaúcho e Passo de Torres, já em Santa Catarina.

O trio suspeito foi encaminhado para Araranguá  onde foi registrado o flagrante. Procurada, a Polícia Civil não informou detalhes da prisão. Ao menos duas ruas paralelas à delegacia foram cercadas por viaturas das polícias Civil e Militar para garantir a conclusão dos procedimentos em segurança.

A ocorrência permanece em andamento na manhã desta quinta.

 

Resumo do assalto:

Cerca de 30 pessoas encapuzadas assaltaram uma agência do Banco do Brasil no Centro de Criciúma às 23h50 de segunda-feira (30). A ação durou 1 hora e 45 minutos.

Pessoas foram feitas reféns e cercadas por criminosos; houve bloqueios e barreiras para conter a chegada da polícia.

Um PM ficou ferido, precisou passar por cirurgia e segue internado. Ninguém morreu.

Criminosos fugiram, e parte do dinheiro ficou espalhada pelas ruas. Valor levado e abandonado não foi calculado ainda.

Quatro moradores foram detidos após recolherem R$ 810 mil que ficaram jogados no chão devido a explosão durante o assalto.

Criminosos também deixaram 30 quilos de explosivos para trás. Polícia não sabe o total utilizado.

10 carros usados no assalto foram apreendidos em um milharal de uma propriedade privada em Nova Veneza, a noroeste de Criciúma. Nove deles eram blindados. Segundo o Instituto Geral de Perícias (IGP), os veículos foram pintados de preto para camuflar.

A PM, baseada em manchas de sangue encontradas em dois carros, calcula que dois criminosos tenham se ferido

Em nota, o Banco do Brasil disse que funcionários não foram feridos, que não há previsão para reabertura da agência e que não informa “valores subtraídos durante ataque às suas dependências”

Fonte: G1

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
a href="#">
-Anúncio-