15 julho 2024 - 9:35
- Anúncio -

Sua empresa está preparada para as mudanças que a geração Z está trazendo para o mercado de trabalho?

veja como não ficar para trás

A nova geração está transformando a maneira como as empresas operam e se relacionam com seus colaboradores. Com a chegada da Geração Y ou Millenials (nascidos entre 1982 e 1994) e da Geração Z (nascidos entre 1995 e 2010) no mercado de trabalho, as empresas precisam se adaptar a novas necessidades para atrair e reter talentos. A gestora de carreira e CEO Madalena Feliciano explica as diferenças entre a nova geração e a geração anterior, o que as empresas precisam fazer para se adaptar à nova geração no mercado de trabalho, a importância de se adaptar à nova geração, a necessidade da nova geração de trabalhar a partir de um propósito pessoal e profissional e o que pode acontecer com as empresas que não se flexibilizam.

As gerações Y e Z estão cada vez mais presentes, trazendo consigo particularidades e anseios diferentes das gerações anteriores. Esses jovens cresceram cercados por tecnologias e recursos digitais, o que os torna mais adaptáveis a diferentes plataformas e dependentes de tecnologia para exercer suas atividades.

Diferenças entre a nova geração e a antiga

A nova geração de trabalhadores é composta principalmente pela Geração Y e pela Geração Z. Essas gerações diferem em muitos aspectos da geração “Baby Boomers” (nascidos entre 1945 e 1964), ou Geração X (nascidos entre 1965 e 1981), entenda:

1. Tecnologia

A Geração Y e a Geração Z cresceram em um mundo digital e estão acostumadas a usar a tecnologia em todas as áreas de suas vidas. No entanto, apesar dessa imersão aos meios eletrônicos, essas gerações preferem as relações mais humanizadas, o que levanta a importância do apoio dos líderes e boas relações no trabalho, que podem ser cultivadas através do diálogo para gerar maior identificação com o local de trabalho.

2. Propósito

A nova geração busca um propósito no trabalho e quer trabalhar em empresas que compartilhem seus valores e tenham um impacto positivo no mundo.

Para entender melhor a mentalidade da geração Z, a McKinsey realizou um estudo sobre os padrões de comportamento dessa nova geração no Brasil. Entre os resultados, destacam-se a busca pela verdade, a valorização da expressão individual, a evitação de rótulos, a defesa de diversas causas, o diálogo para resolver conflitos e a análise pragmática.

Essas características influenciam a forma como a geração Z enxerga o consumo, valorizando o acesso em vez da posse, a expressão da identidade e o apoio a uma causa. Essa preocupação com o bem-estar, diversidade e sustentabilidade é evidente nos comportamentos identitários da classe.

3. Flexibilidade

A nova geração valoriza a flexibilidade no trabalho, incluindo horários flexíveis e opções de trabalho remoto.

Além disso, as gerações Y e Z buscam benefícios que vão além da descontração e do ambiente amigável, como maior apoio para a saúde mental, jornadas flexíveis e oportunidades para o desenvolvimento de habilidades. Esses jovens também estão mais interessados em empreendedorismo e no desejo de ter seu próprio negócio.

Mas o motivo não é a dificuldade de se encaixar em empresas já existentes, e sim a garantia de independência e sucesso financeiro. Um ponto a favor para o sucesso é que são menos idealistas.

4. Inclusão

A nova geração valoriza a diversidade e a inclusão no local de trabalho e espera que as empresas criem um ambiente de trabalho inclusivo e colaborativo.

Segundo relatório da Deloitte, para 89% dos participantes do relatório 2022 Gen Z and Millennial Survey afirmaram que as empresas devem adotar ações que atenuem mudanças mais sustentáveis, para 66% das pessoas entrevistadas o foco das empresas deve estar nas ações de saúde emocional e bem-estar. Além disso, um ponto importante para as gerações Y e Z é a associação a compromisso com um futuro mais ético e diverso.

5. Comunicação

A nova geração espera uma comunicação aberta e transparente com feedback regular e oportunidades para se expressarem.

Para atrair e encantar as novas gerações no mercado de trabalho, é importante que as empresas tenham um propósito bem definido, permitam espaço para inovação, invistam em feedbacks e dêem mais voz e espaço aos funcionários. A nova geração espera um retorno sobre o desempenho nas atividades e valorizam a diversidade e inclusão em ações e projetos participativos.

O que as empresas precisam fazer para se adaptar à nova geração no mercado de trabalho

Madalena Feliciano enfatiza que é importante considerar as seguintes estratégias:

  • Cultura de trabalho colaborativa e inclusiva: É importante criar um ambiente de trabalho colaborativo e inclusivo, onde todos os membros da equipe se sintam valorizados e possam contribuir com suas ideias.
  • Oportunidades de desenvolvimento profissional: As empresas devem oferecer oportunidades de desenvolvimento e crescimento profissional, como programas de treinamento, mentoria e coaching.
  • Flexibilidade no trabalho: É importante oferecer flexibilidade no trabalho, como horários flexíveis, opções de trabalho remoto e em diferentes locais fora do escritório, como espaços de coworking e sem jornadas excessivas.
  • Cultura de propósito: Criar uma cultura de propósito é essencial para que os funcionários se sintam conectados à missão e valores da empresa e vejam o impacto positivo de seu trabalho.
  • Ambiente de trabalho tecnológico: As empresas devem oferecer um ambiente de trabalho moderno, com ferramentas e recursos digitais para facilitar a colaboração e a comunicação.
  • Comunicação aberta e transparente: As empresas devem estabelecer uma comunicação aberta e transparente, com feedback regular e oportunidades para os funcionários se expressarem.

“Adaptar-se à nova geração no mercado corporativo é vital para o sucesso das empresas a longo prazo. As empresas que conseguem criar um ambiente de trabalho atraente e inclusivo para a nova geração podem atrair e reter talentos valiosos, inovar e crescer de forma sustentável. Essas empresas também podem melhorar sua reputação e imagem da marca, atrair consumidores conscientes e aumentar sua rentabilidade a longo prazo.” Destaca Madalena Feliciano.

As empresas que não se adaptarem às necessidades da nova geração de trabalho correm o risco de perder talentos valiosos e ficar para trás no mercado. Elas podem enfrentar dificuldades em atrair e reter talentos, baixa produtividade e desempenho, perda de competitividade, imagem negativa da empresa e redução da inovação. A falta de flexibilidade e adaptação às novas metodologias pode afetar negativamente a empresa em muitos aspectos.

“As gerações Y e Z são uma força crescente no mercado de trabalho e traz consigo particularidades e anseios diferentes das gerações anteriores. As empresas que desejam atraí-los e mantê-los engajados e produtivos devem entender sua mentalidade, investir em feedbacks, dar mais voz e espaço aos funcionários e ter um propósito bem definido. Além disso, é importante que as empresas sejam comprometidas com o bem-estar, diversidade, sustentabilidade e investir na saúde emocional.” Finaliza Madalena Feliciano.

Mais Sobre Madalena Feliciano:

Empresária, CEO de três empresas, Outliers Careers, IPCoaching e MF Terapias, consultora executiva de carreira e terapeuta, atua como coach de líderes e de equipes e com orientação profissional há mais de 20 anos, sendo especialista em gestão de carreira e desenvolvimento humano. Estudou Terapias Alternativas e MBA em Hipnoterapia. Já concedeu entrevistas para diversos programas de televisão abordando os temas de carreira, empregabilidade, coaching, perfil comportamental, postura profissional, hipnoterapia e outros temas relacionados com o mundo corporativo. Master Coach, Master em PNL e Hipnoterapeuta, Madalena realiza atendimentos personalizados para: Fobias, depressão, ansiedade, medos, gagueira, pânico, anorexia, entre muitos outros.

Colaboração: Gabriela Dallo @rtacomunicacao.

spot_img
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-
<