25 setembro 2020 - 1:01

Presidente da Febave comenta na Casa Legislativa o tombamento do Museu ao Ar Livre como Patrimônio Cultural do Brasil.

Élcio Willemann – Presidente da Febave

Élcio Willemann – Presidente da Febave, esteve na sessão da Casa Legislativa de Orleans, na noite de primeiro de julho de 2019, onde prestou esclarecimentos sobre a situação atual do Museu Ao Ar Livre Princesa Isabel, e o que representa o tombamento como Patrimônio Cultural do Brasil.

Willemann apresentou os investimentos em manutenção do museu realizados ao longo dos anos. Salientou as dificuldades em manter as estruturas. E solicitou a Casa Legislativa que ajudem a divulgar o Museu Ao Ar Livre Princesa Isabel.

“O Museu ao Ar Livre é o único que na sua complexidade retrata toda a história e modo de vida de uma colônia, de um segmento da sociedade como é aqui da Colônia Grão-Pará, acredito que seja o único”, comentou.

“Porque lá está retratado toda a vivência de um povo que colonizou toda essa região, todos os equipamentos e utensílios utilizados estão lá retratados. Como por exemplo, na Casa do Colono temos o primeiro fogão que era de corrente, até o fogão já na cozinha, lá se pode ver todo modo de vida do colono,” explicou.

Após as colocações do reitor, os vereadores fizeram algumas colocações e questionamentos sobre a história, implantação e manutenção do museu. Além de dar algumas sugestões.

Confirma as manifestações no link:

O museu:

O Museu ao Ar Livre de Orleans, constitui hoje um referencial da cultura orleanense e da região Sul do estado, pela importância de seu acervo que na verdade resgata todas as fases da colonização. Idealizado em 1974 pelo Pe. João Leonir Dall´Alba, do Seminário São José, por ocasião da catastrófica enchente de 23 de março daquele ano.

Depois de mais três décadas de espera, finalmente, o Museu ao Ar Livre Princesa Isabel, localizado em Orleans, foi reconhecido, por unanimidade, como patrimônio cultural brasileiro. No último dia 12 de junho de 2019, o Conselho Nacional do Patrimônio Cultura do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan julgou a proposta catarinense de tombamento da instituição, processo foi iniciado em 1987.

As construções, de características tradicionais, abrangendo as instalações do Museu ao Ar livre é composto por: capela, engenho de farinha de mandioca, estrebaria, galpão de serviços domésticos, cozinha de chão batido, casa do colono, cantina, meios de transporte, engenho de cana-de-açúcar, serraria pica-pau, oficinas artesanais, marcenaria, atafona, balsa, ferraria, monjolo e Centro de Vivências. Além destas unidades citadas, também encontramos instalado nas dependências do Museu, a Casa de Pedra, que abriga o Centro de Documentação Histórica Plínio Benício (CEDOHI), salas de exposições e Laboratório de Conservação e Restauração (LACOR).

Na tribuna os vereadores orleanenses levantaram assuntos de interesse da comunidade, entre os assuntos   médicos, coleta de lixo, melhorias em rodovias, rotativo da cidade e forma de cobrança foram os assuntos na tribuna. O presidente da casa acrescentou que o responsável pela empresa será chamado novamente a Casa Legislativa.

Na pauta de votação da Casa Legislativa:

Projeto De Decreto Legislativo Nº 002/2019  “nomina como Rua Antônio Zanini, a Rua Projetada Nº 399 com início na Rodovia SC-390 e Término na Rua Arcângelo Campos na Localidade de Santa Clara, Município de Orleans.”

Por: Gerciana Ascari / Imprensa News Sul

 

 

 

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-