20 outubro 2021 - 2:59

Paralisação dos caminhoneiros: o que se sabe até agora e possíveis impactos em SC

Expectativa é de que rodovias sejam fechadas no feriado de 7 de Setembro

Às vésperas do 7 de Setembro, cresce a expectativa de paralisações de caminhoneiros em Santa Catarina. Isso porque as manifestações populares marcadas para o feriado da Independência, em todo o país, devem se estender às rodovias.

Um dos pontos que deve ser bloqueado é o km 25 da BR-101, em Joinville, no Norte de Santa Catarina. Segundo organizadores, a concentração será mais marcante às 14h, mas “vai ter o dia todo”, comenta Sipioni Allievi, do Movimento Direita Joinville.

Na pauta, os manifestantes pedem, sobretudo, impeachment de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e voto impresso e auditável.

Já um dos líderes do movimento em Araranguá, diz que a mobilização não tem apoio de sindicatos. “A gente tá fazendo uma manifestação pacífica, junto com o povo brasileiro”, comenta o caminhoneiro Jair Ferraz.

Os caminhoneiros ainda estão montando estratégias para definir todos os pontos de parada. Até o momento, foram confirmadas pela classe paralisações em Joinville, Itajaí, Biguaçu, Tubarão e Araranguá.

Como ficam os serviços

Para antecipar sobre possíveis impactos econômicos, a reportagem do ND+ entrou em contato com entidades que estão acompanhando as movimentações.

A PRF (Polícia Rodoviária Federal), por exemplo, afirmou que está monitorando as postagens e movimentações nas redes sociais, mas que “não é possível ter certeza que essas ameaças vão se concretizar”.

Já a Fetrancesc (Federação das Empresas de Transporte de Carga e Logística no Estado de Santa Catarina) acredita que o movimento será mais concentrado em Brasília e em São Paulo.

“E nós estamos sempre garantindo ao governo que, se tivermos seguranças nas estradas, as empresas vão continuar trabalhando e garantindo o abastecimento à população e todo o setor produtivo”, informou o presidente da federação, Ari Rabaioli.

Ele acredita que não haverá risco de desabastecimentos decorrentes do 7 de Setembro.

O Porto de Imbituba, também afirmou em nota que está acompanhando a situação junto à Secretaria Nacional de Portos e administrações dos portos brasileiros. “A perspectiva até o momento é de normalidade nas operações portuárias”, escreveram.

No Porto de São Francisco do Sul, no Norte catarinense, não há previsão de mudanças nas atividades operacionais entre 5 a 11 de setembro.

Mobilização no Norte

No Norte de Santa Catarina, o caminhoneiro Marcos Antônio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, que vive a três anos em Joinville, tem ganhado fama por chamar a população para o ato de 7 de Setembro.

Em um dos últimos vídeos gravados por ele, em 30 de agosto, o caminhoneiro voltou a pedir o impeachment dos 11 ministros do STF.

Mais do que isso: driblou a ordem do ministro do STF Alexandre de Moraes e voltou a participar de transmissões e lives a fim de divulgar o movimento considerado pelo STF antidemocrático.

O ato deve parar estradas com a paralisação de caminhoneiros a fim de pressionar o Senado a aceitar pedido de impeachment contra ministros do Supremo.

Com informações do site ND Mais

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-