23 setembro 2020 - 10:47

Equipe da Cegero recuperou 85 pontos afetados pelo Ciclone do dia 30 de junho

Ao iniciar o Vendaval, Ciclone Extratropical ou Ciclone Bomba, no dia 30 de junho, a Cooperativa de Eletricidade de São Ludgero (Cegero) já estava com suas equipes preparadas para iniciar os trabalhos de recuperação. A energia faltou geral exatamente às 16h24min retornando às 19h33min, desligada novamente as 20h05min e retornando às 20h34min. Nos dois períodos todas as 6.243 unidades consumidoras ficaram sem energia elétrica. Ao todo foram recuperados 85 pontos com estragos em todos os bairros e comunidades, um trabalho intenso com a última unidade consumidora restabelecida 48 horas depois, ao final da tarde do dia 2 de julho. A maioria absoluta dos estragos nas redes ocasionados por eucaliptos resultaram em transformadores queimados, postes quebrados e fios enrolados totalizando R$ 62.681,92 em prejuízos.

O Responsável Técnico da Cegero, Engenheiro Eletricista, Adriano Maurici, é objetivo em dizer que os eucaliptos plantados próximos as redes promoveram um grande prejuízo a Cooperativa, automaticamente aos sócios, e ainda somou para que o tempo fosse bem maior para o restabelecimento da energia elétrica para todas as unidades consumidoras. “A rede 138 kV da Celesc foi desligada ao final da tarde do dia 30 e a equipe virou madrugada adentro até dia 1º de julho, ficando ainda mais de 200 unidades sem energia. Os trabalhos seguiram e na manhã de quinta, dia 2 de julho, ainda tinha 40 unidades aguardando o restabelecimento, com a última unidade ao final da tarde, 48 horas depois, voltando a ter energia elétrica”, detalha. Ele informa ainda que com o vendaval os canais de comunicação entre sócios e a cooperativa também foram interrompidos. “Telefones fixos e celulares não estavam funcionando por um bom tempo, bem como o 0800 devido ao problema com a OI em Florianópolis. Muitos sócios se deslocaram até a Sede Administrativa”, completa. Ele finaliza agradecendo os colaboradores da Cegero pelo empenho e dedicação no trabalho de recuperação, bem como associados que auxiliaram na retirada de árvores. “É uma equipe que orgulha a Cegero e os sócios”, pontua.

Não é a primeira vez que um vendaval atinge a área de abrangência da Cegero e região, causando inúmeros danos, não só relacionado a falta de energia elétrica, mas também danos em plantações, residências, construções diversas e propriedades rurais. O ciclone do dia 30 de junho fez com que mais de 50% da população catarinense ficasse sem energia elétrica, segundo a Celesc, mais de 1,5 milhão de unidades consumidoras.

Para o presidente da Cegero, Francisco Niehues Neto, o Chico, lembra que contra a força da natureza não é possível lutar, mas é possível agir de forma preventiva, a exemplo de um bom distanciamento dos plantios de eucaliptos das redes. “Felizmente nenhuma morte na área de abrangência da Cegero”, resume.

Ascom Cegero

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-