29 outubro 2020 - 4:48

Bugres ainda nas trevas da Cultura Branca

Roubamos seu espaço e acabamos com sua cultura, a parte da história que ninguém quer contar

Esse é o titulo que estampa essa placa no Rio Hipólito, juntamente com suas belas paisagens naturais no interior de Orleans.
A placa é uma homenagem e deferência aos índios das encostas da serra geral pelo professor de história e antropologia Celso de Oliveira Souza em maio de 2015.
Particularmente fiquei feliz ao ver essa homenagem!
Afinal nós descendentes europeus em maioria, temos uma divida com esse povo tão cheio de cultura que habitava por essas terras.
Invadimos seu espaço desde o descobrimento do Brasil, durante a colonização e até os dias atuais. Roubamos seu espaço e acabamos com sua cultura, a parte da história que ninguém quer contar… matamos vocês!

Abaixo alguns relatos sobre os últimos bugres que viviam na região:

“O final triste deles foi com um grupo vindo da serra, para extermina-los sem dó nem piedade. Alegação: roubo de gado e roças. O tiroteio foi num sabado à tarde no meio do Costão, eu ouvia muito bem o barulho das espingardas, exterminando aquela gente inocente. Acho que a matança foi em dezembro de 1945 e o grupo poderia ser até uns vinte.”
(Dona Docenira Dal Belo Moro)

“Em uma das roças do meu pai tinhamos plantado muitas abóboras e os índios a levavam para comer com mel.”
(Senhor Valdivino Rossi)

“Alguns se queixavam quando os índios tiravam alguma coisa das roças; Eu não. Pois só pegavam a quantidade que iam comer. Eu achava que tinham direitos.”
(Senhor Olivio Cechinel)

“Por anos convivemos com eles por ali. Fomos até o acampamento deles e ninguém estava la. Só o fogo aceso e alguns pertences. Os moradores da serra se organizaram e vieram mata-los, num cerco sem saída para os índios.”
(Senhor Francisco Hoffman)

♻️ Preserve
Por: Ezani Alberton Ascari
Siga @trilhando_com_ezani

- Anúncio -
-Anúncio-