22 outubro 2021 - 5:05

Senador catarinense Jorginho Mello troca xingamentos com Renan Calheiros na CPI da Covid

Os senadores Jorginho Mello (PL-SC), da base governista, e Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid-19,  trocaram xingamentos na sessão da comissão desta quinta-feira (23).

A briga entre os senadores teve início após Calheiros falar em corrupção do governo de Bolsonaro por causa de negociações suspeitas na compra das vacinas Covaxin, enquanto ignorava propostas da Pfizer e do Butantan.

“Foi essa gente, respeitosamente eu digo isso, que foi escolhida pelo presidente da República para comprar vacina, quando recusava comprar as vacinas da Pfizer, do Butantan, da OMS. Ele preferiu esse tipo de negociação. É por isso que a pesquisa de ontem revela que tem aumentado a cada dia a percepção de que o governo é um governo corrupto”, disse Renan, antes de ser interrompido por Mello, que saiu em defesa do chefe do Executivo afirmando que “picaretas” tentaram vender vacinas, e não houve “escolha” por parte do governo.

Renan se irritou com a interrupção e pediu para que o colega não gritasse, já que não havia lhe dado a palavra. “O senhor não pode estar falando isso do governo, o senhor não tem envergadura para falar isso”, respondeu Jorginho Mello.

Renan apelou para o presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), pedindo que o microfone do colega fosse cortado. “Presidente, ele não pode me interromper, eu não permito que o senhor me interrompa”, disse Renan, alegando que Jorginho poderia falar quando ele encerrasse seus questionamentos.

Jorginho, então, mandou Renan “para os quintos” e foi retrucado por Renan: “Vá vossa excelência com o seu presidente. E com o Luciano Hang”.

O bate-boca se acalorou a partir de então, com Jorginho falando para que Calheiros “lavasse a boca” antes de falar de Luciano Hang.

“Vai lavar a tua, vagabundo”, disparou Renan. Jorginho Mello retrucou, chamando Renan de “vagabundo, ladrão e picareta”. A troca de insultos continuou com dedos em riste e ambos os senadores chegando a levantar para um enfrentamento mais acalorado. A briga foi apartada pelos colegas de comissão, senadores Otto Alencar (PSD-BA), Humberto Costa (PT-PE) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Fonte: Notisul

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-