15 julho 2024 - 10:01

SC não registra caso de Influenza Aviária, mas Governo reitera alerta máximo às medidas de biosseguridade

A Secretaria da Agricultura emitiu uma nota técnica de alerta máximo em relação a medidas de biosseguridade para prevenção a Influenza Aviária de Alta Patogenicidade. Após a publicação pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) da Portaria MAPA nº 587, que declara estado de emergência zoossanitária em todo o território nacional por 180 dias, o secretário da Agricultura, Valdir Colatto, e a presidente da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Celles Regina de Matos, reiteraram a necessidade de reforço de medidas de biosseguridade para avicultura comercial e a recomendação para a restrição temporária de acesso ao ambiente externo para aves criadas livres, a fim de proteger a saúde e segurança do plantel avícola catarinense.

Não há registro de casos em Santa Catarina

Em caso de qualquer suspeita de influenza aviária, a Cidasc deve ser imediatamente comunicada através do telefone: 0800 643 9300. Caso aviste alguma ave doente ou morta, não toque no animal e não o leve para casa.

Os produtores devem reforçar as demais medidas de biosseguridade e proibir visitas de pessoas alheias ao sistema de produção. A medida visa proteger a saúde e segurança dos plantéis, uma vez que, a entrada da Influenza Aviária nos sistemas de produção comerciais poderá acarretar imensos prejuízos a toda cadeia produtiva catarinense e nacional.

O consumo da carne de aves e ovos é totalmente seguro, conforme respaldado cientificamente pela Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA), pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) e outros órgãos reconhecidos internacionalmente.

Leia a nota na íntegra:

NOTA TÉCNICA Nº 002/2023                                                      Florianópolis, 22 de maio de 2023.

Assunto: Alerta máximo às medidas de biosseguridade para avicultura comercial e recomendação para a restrição temporária de acesso ao ambiente externo para aves criadas livres, a fim de proteger a saúde e segurança do plantel avícola catarinense.

Após a publicação pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA) da Portaria MAPA nº 587, de 22/05/2023, que declara estado de emergência zoossanitária em todo o território nacional, por 180 dias, em função da detecção da infecção pelo vírus da influenza aviária H5N1 de alta patogenicidade (IAAP) em aves silvestres no Brasil, vimos por meio desta Nota Técnica reiterar ALERTA MÁXIMO às medidas de biosseguridade para a avicultura comercial e à recomendação da restrição de acesso ao ambiente externo para aves criadas livres, bem como aves de subsistência, a fim de proteger a saúde e segurança dos plantéis avícolas catarinenses.

A recomendação desta medida de biosseguridade visa manter as aves dentro dos galpões, sem acesso a áreas externas, devido a maiores chances de contato desse tipo de criação com aves migratórias ou silvestres e, portanto, maior risco de contaminação.

Os produtores devem reforçar as demais medidas de biosseguridade e proibir visitas de pessoas alheias ao sistema de produção.

Todas as suspeitas de influenza aviária, que incluem sinais respiratórios, neurológicos ou mortalidade alta e súbita em aves devem ser notificadas imediatamente à Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc).

A realização de exposições, torneios, feiras e demais eventos com aglomeração de aves continua suspensa em Santa Catarina e em todo território nacional por tempo indeterminado, conforme a Portaria MAPA nº 587, de 22/05/2023.

Cabe destacar que a notificação da infecção pelo vírus da IAAP em aves silvestres não afeta a condição do Brasil como país livre de Influenza Aviária de Alta Patogenicidade e não há proibições ao comércio internacional de produtos avícolas brasileiros.

Por fim, informamos que o consumo da carne de aves e ovos é totalmente seguro, conforme respaldado cientificamente pela Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA), pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) e outros órgãos reconhecidos internacionalmente.

Caso aviste alguma ave doente ou morta, não toque nos animais, não os leve para casa e avise imediatamente a Cidasc por meio do telefone: 0800 643 9300.

O momento requer atenção máxima e, diante do risco ambiental da introdução desta doença e da importância econômica e social da avicultura para o Estado de Santa Catarina, a adoção dessas medidas é de extrema relevância.

Atenciosamente,

Valdir Colatto                                                 Celles Regina de Matos

Secretário de Estado                                               Presidente da Cidasc

Com informações: Secretaria da Agricultura do Estado de Santa Catarina.

- Anúncio -
-Anúncio-