17 abril 2024 - 2:18
- Anúncio -

São Ludgero já soma 21 focos do mosquito Aedes Aegypti em 2023

Um total de 21 focos do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya, Zika e Febre Amarela, já foram identificados em São Ludgero no ano de 2023. O trabalho de campo, com visitas, levando orientações e fazendo verificações, continuam pelos bairros da cidade. Atualmente, o maior número de focos concentram-se nos bairros Bela Vista, Dona Jordina e Nossa Senhora Aparecida. A forma mais eficiente para combater o mosquito é não deixar água parada em recipientes nas residências, comércios e empresas. O ano de 2022 fechou com 61 focos identificados.

   Os números de focos confirmados seguem aumentando e, diante do calor e chuvas de verão, ambiente propício ao mosquito, tende a acelerar ainda mais a proliferação. O período de pico vai do final de fevereiro até início de março. Nunca na cidade foram identificados pela equipe da Vigilância em Saúde tantos focos em um espaço tão curto de tempo. Quando é identificado um foco, ou seja, coletado larvas em um local e confirmado para o mosquito Aedes Aegypti, uma varredura num raio de 300 metros é realizada pela equipe da saúde. Dois meses depois, nova ação é realizada na área. Já no caso da infestação, que no caso de São Ludgero trata-se dos bairros Centro, Beira Rio, Madre Tereza e Parque das Acácias, é realizada vistoria e tratamento. Nos bairros infestados dias 15, 16 e 17 de dezembro, mais de 2 mil residências, empresas e comércios receberam a visita de profissionais da saúde.

   Ao longo dos últimos anos a Prefeitura de São Ludgero, por meio da equipe da Secretaria da Saúde/Vigilância em Saúde, atua forte no enfrentamento ao mosquito. São inúmeras ações, entre elas, mutirões pelos bairros da cidade em residências e terrenos baldios, orientações e entrega de materiais pelas Agentes de Saúde da Família, palestras, ações nas instituições de ensino, panfletagem, campanhas e colocação de faixas em pontos estratégicos da cidade. Além disso, foi investido na contratação de mais Agentes de Endemias para auxiliar nos trabalhos, inclusive, monitoramento de 60 armadilhas.

     Felizmente não existem casos confirmados das doenças Dengue, Chikungunya, Febre Amarela e Zika em São Ludgero. Durante as visitas domiciliares, as Agentes de Saúde da Família, estão verificando a presença de locais propícios ao desenvolvimento do mosquito. Denúncias podem ser encaminhadas através do número (48) 36571938 pelo aplicativo do WhatsApp.

      A Secretária da Saúde, Morgana Rech da Silva, reforça que não basta apenas o setor público agir, fazer a sua parte. “É preciso a participação das pessoas, de verdade, para conseguirmos diminuir a proliferação do mosquito. Caso contrário, podemos perder o controle em relação ao mosquito, somado ao risco altíssimo de desenvolver uma epidemia de Dengue, Chikungunya e Zika”, ressalta.

Colaboração: Bertoldo Kirchner Weber

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-