27 outubro 2021 - 8:36
- Anúncio -

São Ludgero dá adeus ao ex-presidente da Cegero e ex-prefeito Danilo Niehues, aos 87 anos

Danilo Niehues faleceu vítima de complicações da Covid-19.

“Estou feliz por tudo que ajudei a construir em mais de três décadas com os sócios, funcionários, conselheiros e membros das diretorias que formaram a Cegero”. A frase foi uma das últimas declarações públicas feita por Danilo Niehues que faleceu, vítima de complicações da Covid-19, a uma hora da madrugada de hoje, quinta-feira, 18 de março, no Hospital Socimed, com 87 anos. Deixou esposa, 5 filhos, 9 netos e 2 bisnetas. Ele também foi prefeito de São Ludgero no período de 1º de fevereiro de 1983 a 31 de dezembro de 1988. O velório acontece das 9 às 11 horas na Capela Mortuária da Igreja Matriz São Ludgero e, logo após, o sepultamento no Cemitério Municipal. O prefeito de São Ludgero, Ibaneis Lembeck, o Iba, decretou luto oficial por 3 dias.

Humildade, honestidade e seriedade são as palavras que foram praticadas por Danilo Niehues ao longo de sua trajetória de vida como líder cooperativista por quase 33 anos, representante público, esposo, pai, sogro, avô, amigo e cidadão sãoludgerense.

Várias obras e ações públicas foram realizadas durante o período que Danilo Niehues fez a gestão do município, entre elas, a inauguração da Sede Administrativa do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) e o Ginásio Municipal Lino Philippi.

A primeira vez que assumiu a presidência da Cooperativa de Eletricidade de São Ludgero (Cegero) em 24 de março de 1979, permaneceu no cargo até 27 de novembro de 1982. Depois, foi eleito prefeito de São Ludgero conduzindo o município no período de 1º de fevereiro de 1983 a 31 de dezembro de 1988. Retornou ao cargo de presidente da Cegero em 26 de março de 1988 fazendo a gestão até 18 de março de 2017.

Ao falar sobre o crescimento da Cegero, em uma de suas últimas entrevistas ao jornalista Bertoldo Kirchner Weber, recordou das inúmeras dificuldades enfrentadas na Cooperativa como falta de dinheiro, materiais diversos, veículos e equipamentos. Lembrou, também, que além das grandes dificuldades era preciso motivação para seguir em frente e fazer com que os sócios acreditassem que dias melhores chegariam. Danilo contou, que por muitas vezes, a Cooperativa dependia do apoio do Governo Estadual através da Erusc (Empresa de Eletrificação Rural de Santa Catarina) para conseguir realizar ampliações de redes. Cita que as famílias além de ajudarem nas instalações, ansiosas pela chegada da energia elétrica, faziam doações de postes de madeira e até ajudavam nas construções. “É, foi assim com o esforço conjunto de todos que fomos construindo nossa Cegero”, declarou na entrevista.

A maior alegria do ex-presidente da Cegero foi deixar a Cegero no dia 18 de março de 2017 e ver o quanto ela tinha evoluído e o quão bem preparada ela estava para o futuro, além de cumprir com suas obrigações e de ter conseguido zelar pelo patrimônio conquistado ao longo dos anos. “Entrego a Cegero com uma situação financeira tranquila, preparada para atender o crescimento residencial e industrial, as contas rigorosamente em dia, uma estrutura nova e toda equipada, frota de veículos em ótimo estado e ainda deixando um legado de contribuições sociais junto a entidades e associações”, declarou na época.

Danilo Niehues encerrou sua trajetória no cooperativismo distribuindo energia de qualidade, praticando uma das tarifas de energia elétrica mais baratas de Santa Catarina e do Brasil, utilizando as mais modernas tecnologias e mantendo sempre a eficiência e o bom atendimento aos sócios/consumidores.

Outras ações da Cegero, fonte de orgulho para Danilo Niehues, foram os inúmeros e importantes investimentos sociais, por meio do Fates (Fundo de Assistência Técnica Educacional e Social). Ao longo dos anos foram inúmeras entidades e associações beneficiadas, como exemplo a Rede Feminina de Combate ao Câncer, Apae, Hospital Santa Teresinha, Unidade Básica de Saúde (Pronto Atendimento), Escolas, Creches, Grupo dos Idosos, pessoas com deficiência, investimento em pavimentações, compra de caminhão totalmente equipado para o Corpo de Bombeiros, viatura para a Polícia Militar, Aparelho de Raio-X para a Secretaria de Saúde, auxílio na decoração natalina, participação nas instalações das câmaras de segurança etc.

Uma das coisas que mais gostava de fazer na Cegero era atender todos os associados e não associados, sem distinção e com isonomia, prontamente, em seu gabinete quando procurado. “Como presidente sempre defendi o patrimônio construído e as decisões tomadas foram pensando nos benefícios aos sócios. Aproveito para agradecer os membros das diretorias, conselhos, funcionários e sócios por ajudarem na construção de uma Cooperativa que orgulha a todos”, disse em 2017 durante sua despedida da Cooperativa.

A Cegero será eternamente grata pelos mais de 32 anos de dedicação e trabalho em prol do Cooperativismo.

Fonte: Ascom/Cegero

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-