22 junho 2024 - 11:10
- Anúncio -

Reunião discute ações sobre moradores de rua

Uma reunião entre os poderes executivo e legislativo, Ministério Público, Polícia Militar e entidades representativas foi realizada na tarde desta quinta-feira, 25, para debater sobre a situação dos moradores de rua em Braço do Norte.
A ideia, conforme o prefeito Beto Kuerten Marcelino, é que sejam levantadas ações para reintegrar estes moradores à sociedade e que o grupo discuta formas para agir legalmente, reforçando os trabalhos já exercidos. “Foi uma reunião muito objetiva e esclarecedora e esse assunto precisa ser tratado com seriedade: de um lado temos a população que se sente intimidada e, de outro, os moradores de rua, que são humanos e merecem respeito. Estamos em busca de uma maneira de restaurar a dignidade dessas pessoas e, se e quando possível, ressocializá-los”, comentou.
De acordo com dados do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), responsável pela abordagem das pessoas com situação de rua, do início de janeiro de 2024 até hoje, dia 25, foram realizados 41 atendimentos, sendo que, neste momento, cerca de 26 pessoas vivem em situação de rua em Braço do Norte.
Ainda segundo a Secretaria de Assistência Social, o Creas mantém um cadastro com os dados de cada morador, além disso, em cada abordagem, são oferecidos alimentos e vestuários, além de encaminhamento ao Sine para a busca de empregos. Porém, na maioria dos casos, não há interesse dos indivíduos.
Assim como a Assistência Social, a Polícia Militar também faz abordagens periódicas, onde são levantadas as fichas criminais e, em caso, de mandado de prisão em aberto, os indivíduos são recolhidos ao presídio.
O prefeito lembra que o poder público não tem amparo legal para retirar as pessoas de locais públicos. Além disso, com o auxílio do Judiciário e do Ministério Público, o Município, através da Secretaria de Saúde, já realizou internações compulsórias para desintoxicação, porém, é necessário que o interno queira realizar a reabilitação, o que, muitas vezes, não ocorre.
Segundo Beto, alguns pontos foram levantados no encontro como a importância que a população não dê esmolas principalmente nos semáforos, mas encaminhe à Assistência Social, a intensificação das abordagens do Creas e da Polícia Militar, um programa de apoio em conjunto com a iniciativa privada para estimular as pessoas que saem das internações a se qualificarem e buscarem emprego, a busca por dispositivos legais que inibam a permanência em estabelecimentos com bebidas e ilícitos nas madrugadas e a criação de um Comitê, conforme recomendação da Fecam para os Municípios Catarinenses, para integrar as entidades e alinhar a ações. “Eu agradeço a cada um que se disponibilizou. Nós estamos buscando um entendimento para que possamos fazer o melhor para toda a sociedade. É muito importante que se algum cidadão for ameaçado procure a polícia e faça boletim de ocorrência e que não contribua nos faróis, pois isso estimula a desistência da busca de empregos”, encerrou.
A Secretária de Assistência Social, Gisely Heidmann Perin Meurer enfatiza que o Município
buscará fazer parcerias com entidades e formar grupos de apoio às pessoas em situação de rua, com o intuito de fortalecer as ações já realizadas como a busca por condições dignas de vida.
Quem quiser dar oportunidade aos moradores de rua podem orientar a buscar pelo Creas, que fica localizado na rua Nívea Philippi, 544, bairro Trevo (próximo a antena). O telefone é o 3658-7941, das 7 às 18h30.
Também participaram do encontro representantes da Secretaria de Saúde e Caps, Secretaria de Administração e Fazenda, Secretaria de Planejamento Urbano, Desenvolvimento Econômico, Cultura e Turismo, Acivale, Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/BN) e Conselho Comunitário de Segurança de Braço do Norte (Conseg).

ASCOM BN

spot_img
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-
<