10 dezembro 2023 - 7:46

Processo contra padre Robson de Oliveira é arquivado em definitivo pelo STJ

Oprocesso contra o padre Robson de Oliveira, ex-reitor do santuário do Divino Pai Eterno em Trindade, GO, foi arquivado em definitivo pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) nesta segunda-feira, 18 de abril, com a emissão da certidão de trânsito em julgado para a ação movida contra o sacerdote pelo Ministério Público Estadual de Goiás (MP-GO).

O MP-GO acusava o padre redentorista de organização criminosa, apropriação indébita, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro doado por fiéis à Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), fundada e presidida pelo pe. Robson. Conforme as acusações do Ministério Público, os desvios teriam causado prejuízo superior a R$ 100 milhões para a associação.

Pedro Paulo de Medeiros, advogado do sacerdote, considera que o STJ confirmou a mesma decisão já emitida em outubro de 2020 pelo Tribunal de Justiça de Goiás, reconhecendo que o pe. Robson não teria cometido crime. Segundo Medeiros, o sacerdote, “injustiçado como foi, agora absolvido, poderá finalmente continuar sua vida de evangelização, servindo à Igreja”.

O Ministério Público de Goiás, entretando, ingressou com mandado de segurança no STJ questionando a decisão da 6ª Turma, que não admitiu o recurso do MP. O mandado de segurança será analisado pela Corte Especial. Em nota, o MP afirma que, “mesmo que tenha havido trânsito em julgado no processo originário, ainda há esta ação para ser julgada”.

O pe. Robson se afastou das suas funções na Afipe alguns dias após o início da operação deflagrada em agosto de 2020 para investigar a sua gestão à frente da associação e do santuário. Por decreto do então arcebispo de Goiânia, dom Washington Cruz, o padre também está afastado temporariamente do exercício da ordem sacerdotal. Sua congregação, os redentoristas, o proibiu temporariamente de celebrar os sacramentos e de participar de quaisquer programas transmitidos via TV, rádio ou internet, a fim de evitar escândalos.

Em declarações ao jornal goiano O Popular alguns dias antes da decisão do STJ, o atual arcebispo de Goiânia, dom João Justino, havia afirmado que o caso do pe. Robson permanece sob investigação canônica e que as pertinentes decisões serão tomadas em conjunto com os redentoristas.
Fonte: Aleteia

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-