23 setembro 2020 - 7:56

Prefeitura de São Ludgero corta investimentos diante da baixa nas receitas

 Investimentos considerados importantes que não são essenciais já estão sendo cortados pela Prefeitura de São Ludgero, reflexo da pandemia do Covid-19 com baixa nas receitas. A medida é dura, porém necessária, para manter o sistema público municipal funcionando diante de um futuro incerto com priorização aos atendimentos na área da saúde e social. A decisão foi tomada pelo prefeito Ibaneis Lembeck, o Iba, após reunião realizada com os secretários Léo Füchter, Afonso Boeing, Sirlene Machado Cunha Joaquim, Nilva Schlickmann e equipe contábil/financeira.

      Faz parte da lista a paralisação de investimentos com o pagamento de custeio no pagamento de parte dos serviços de máquinas que realizam melhorias dentro das propriedades rurais, as terceirizações diversas a exemplo de máquinas e caminhões que davam suporte a equipe da secretaria de obras nos trabalhos de pavimentações, contratos com profissionais e entidades para desenvolvimento de ações esportivas, capacitações, atividades culturais, apoios, enfim, tudo que estava no planejamento como ações e investimentos importantes que não são considerados essenciais, básicos à população.

     O Secretário de Administração, Finanças e Planejamento, Léo Füchter, lembra que não existe mágica, o caminho é a priorização. “Ao longo das últimas semanas tomamos e vamos tomar mais atitudes internas para ajustar os atendimentos públicos básicos, nos adequarmos a nova realidade que toda uma sociedade está enfrentando. A Prefeitura de São Ludgero não fabrica dinheiro. As fontes de receitas dependem da movimentação financeira e consumo em geral. Mesmo com o retorno de parte das atividades já estamos sentindo os pesados reflexos negativos nas receitas diante do impacto no faturamento do setor privado e famílias. Vamos otimizar ainda mais, tudo aquilo que for possível”, enfatiza.

    O prefeito de São Ludgero, Ibaneis Lembeck, o Iba, explica que é difícil enxugar algo quando se tem uma gestão enxuta. “Para quem acha que é fácil para um prefeito pegar a caneta e fazer isso, engana-se. Dói e muito no peito”, declara. Ele completa dizendo que a partir de agora nossa prioridade é os atendimentos na saúde e um olhar mais especial no social, trabalhar para seguir com o ano letivo, garantir o abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, recolhimento do lixo, continuar com a manutenção básica das estradas gerais ainda de chão batido e alguns serviços considerados emergenciais em propriedades rurais. “Eu e minha equipe de secretários não seremos irresponsáveis colocando em cheque o CNPJ da Prefeitura de São Ludgero. Aproveito para pedir a compreensão das famílias neste momento. Precisamos fazer isso. Trata-se de precaução no caso de necessitarmos um foco ainda maior nos setores da saúde e social”, ressalta. O prefeito finaliza reforçando o compromisso da atual gestão com a coletividade e o dinheiro público. “O decreto de emergência não faz nascer dinheiro de um dia para outro. Todas as nossas decisões acontecem com cautela, segurança e responsabilidade. Falamos pouco, ouvimos bastante e usamos a caneta com zelo ao dinheiro público, transparência e sempre respeitando as pessoas”, conclui.

      Entre os esforços relacionados a investimentos, a partir de agora, o de seguir com os trabalhos para concluir as 35 pavimentações no perímetro urbano da cidade, porém, num ritmo bem mais lento com a equipe da secretaria de obras. A pavimentação de acesso a escadaria ao Morro da Cruz, com parceria do Governo Federal, também é outra obra que deve ser concluída. É desejo da Gestão Municipal ainda é concluir a sede própria do Centro de Referência de Assistência Social (Cras), um projeto do Governo do Estado, resultando em mais uma economia com a não mais necessidade do pagamento de aluguel. E, ainda, tem a execução da primeira etapa do projeto de revitalização da praça da Igreja Matriz que está com 90% concluída e o município aguardando desde o final de 2018 e repasse da última parcela para finalização dos trabalhos.

    Decisões também foram tomadas pela Administração Municipal no sentido de flexibilizar datas de pagamentos a exemplo do prazo com desconto para o IPTU/Coleta de Lixo, de água e coleta e tratamento de esgoto.

Saiba o que permanece, modifica e reduz nas Secretarias Municipais com a baixa nas receitas da Prefeitura:

Secretaria de Administração, Finanças e Planejamento – Faz a integração de todas as secretarias e mantém os trabalhos, direcionando muitos via telefone, e-mail ou pelo site municipal. Decisões já foram tomadas em relação as flexibilizações de datas como é o caso do IPTU e também em relação ao pagamento de água e esgoto junto ao Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae). Não terá muitas alterações em relação aos investimentos e sim, o que é fato, são os impactos negativos nas receitas. Além disso, a partir do dia 20 de abril, para melhorar os atendimentos presenciais mesmo diante da atual situação, o expediente acontecerá das 7 às 17 horas sem fechar ao meio-dia.

Secretaria de Obras, Viação e Urbanismo – Haverá redução significativa nos serviços, inclusive, terceirizados, especialmente, no que tange suporte nos trabalhos para pavimentações de vias públicas. As manutenções básicas das vias municipais ainda de chão batido continuam. O funcionamento passará a ser das 7 às 13 horas a partir do dia 20 de abril.

Secretaria de Educação, Cultura e Esportes – Haverá cortes em relação aos prestadores de serviços e parcerias existentes com entidades para desenvolvimento de projetos esportivos e culturais, apoios e capacitações. No próximo dia 22 de abril será retomado o ano letivo de forma não presencial. O atendimento administrativo na secretaria também continua sendo feito de forma não presencial. Vários funcionários da área do transporte e setor esportivo estão de férias. Informações ou dúvidas sobre o retorno do ano letivo pelo fone (048) 99964 4846 das 07h30min às 11h30min e das 13 às 17 horas.

Secretaria de Agricultura, Comércio, Indústria e Turismo – Não haverá alterações na parte de atendimento administrativo, apenas no expediente que passará das 7 às 13 horas a partir do dia 20 de abril. Já em relação ao investimento em subsídios no pagamento de serviços de máquinas e equipamentos para melhorias dentro das propriedades rurais, temporariamente está suspenso.

Secretaria de Saúde – Segue os atendimentos à população e continuará recebendo atenção especial, inclusive, com mais investimento se necessário for diante da pandemia. Entre as ações relacionadas ao Covid-19 foi criada e está funcionando na cidade um Centro de Triagem de segunda a segunda para atender as pessoas com sintomas, o Disque Coronavírus, uma comunicação direta com a comunidade para sanar dúvidas, receber orientações e fazer uma triagem preliminar, bem como foi iniciado e segue a pulverização com dióxido de cloro dissolvido em água nas áreas que possuem maior movimentação de pessoas. Além disso, um forte trabalho de conscientização ao Covid-19, através dos meios de comunicação e redes sociais, é realizado. As Unidades de Saúde continuam funcionando das 7 às 16 horas, sem fechar ao meio-dia, e a Unidade Sanitária Central de Saúde (Pronto), 24 horas por dia, 7 dias por semana. A parte administrativa segue das 7h30min às 11h30min e das 13 às 17 horas.

Secretaria de Assistência Social e Habitação – Seguem normal os atendimentos nos serviços de cadastro único, bolsa família, benefícios eventuais, proteção especial e no serviço de convivência e fortalecimento de vínculos de forma, preferencialmente, à distância realizada por telefone, online ou via whatsapp. Existiu uma divisão de competências para que se consiga atender o aumento da demanda de benefícios eventuais, ocasionado pela pandemia do Covid-19, que resultou ainda na mudança da logística para a retirada de cestas básicas. O expediente é das 7h30min às 11h30min e das 13 às 17 horas.

COLABORAÇÃO: Bertoldo Kirchner Weber/Assessor de Comunicação

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-