29 setembro 2020 - 11:59

Polícia fecha rinha de galos em Tubarão

Após acionamento via Central Regional de Emergência, a guarnição do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT), o Canil, SGT Ronda e viaturas de área da Polícia Militar de Tubarão se deslocaram até o bairro São João Margem Esquerda – em frente à Igreja Católica (somente referência). A denúncia relatava que existia a prática de uma rinha de galo e as aves sofriam maus-tratos, pois brigavam umas com as outras mediante aposta de seus donos.

Algumas chegavam a ficar muito machucadas tamanha violência de seus embates. Havia vários veículos estacionados nas imediações, o que não condizia com o número de pessoas que estavam em um bar próximo, o que levantou a suspeita.

Ao lado do bar tinha um corredor que levava a uma casa de onde policiais escutaram cantos de galos, além da algazarra de pessoas. Um homem não identificado que estava no bar foi indagado sobre o que ocorria. Ele confirmou que se tratava de “rinha de galo”, conhecida também como “briga de galo”.

Os policiais militares, diante dos indícios e confirmações, foram até o fim do corredor e checaram a denúncia. Havia muitas pessoas (22) e muitas aves (33), algumas machucadas, outras confinadas em viveiros.

No momento da abordagem, os policiais flagraram as brigas, duas aves machucadas se enfrentando e várias pessoas ao redor. Os policiais determinaram o fim da briga e que todos se posicionassem em um determinado local para conferência de seus nomes junto ao sistema.

Todos foram informamos que estavam detidos pela prática de maus-tratos contra animais. Os policiais então acionaram a Polícia Militar Ambiental que esteve presente no local. Diante de todas as circunstâncias, a guarnição lavrou o termo de compromisso mediante assinatura de comparecimento no Fórum de Tubarão para os presentes responderem pelos crimes cometidos.

A Polícia Militar Ambiental coletou os nomes e informações de todos os envolvidos e animais para fazer os procedimentos de sua competência. Como não havia local apropriado para apreender os animais, a alternativa foi deixar com os próprios donos mediante assinatura.

A “rinha” era de propriedade de um homem que mora no local. Segundo ele, as apostas variavam de R$ 100,00 a R$ 500. Após colher todas as assinaturas para comparecimento no fórum e de fiel depositário, os participantes foram liberados e devem se apresentar no dia 22 de outubro no Fórum da comarca de Tubarão.

Notisul

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-