20 maio 2024 - 4:48
- Anúncio -

Polícia Civil intensifica o uso da inteligência policial para reforçar as ações preventivas e de monitoramento da internet

O delegado-geral da Polícia Civil, Ulisses Gabriel, abriu a coletiva de imprensa concedida nesta quarta-feira (05), no Salão Nobre da Prefeitura de Blumenau, se solidarizando com vítimas e familiares das vítimas do brutal ataque ocorrido à creche Bom Pastor, que resultou na morte de quatro crianças e deixou outras quatro feridas, com idades entre 3 e 7 anos.

Ulisses Gabriel destacou que este foi um fato isolado e que a população deve buscar informações nos canais oficiais para evitar o compartilhamento de notícias falsas. Ele também agradeceu aos integrantes das forças de segurança que deram o primeiro atendimento às vítimas. “Os policiais enfrentaram um dos piores dias de sua missão”, disse Ulisses. O autor dos crimes já está preso em Blumenau.

De acordo com Ulisses Gabriel, o homem que atacou a creche é natural de Salto do Lontra (PR), mas desde 2009 possui carteira de identidades emitida em SC. O autor dos fatos tem 25 anos e quatro passagens policiais: 2016 (por briga em casa noturna); 2011 (por ter esfaqueado o padrasto); e outras duas em 2022 (por posse de cocaína e por ter esfaqueado o cão do padrasto). O delegado-geral disse ainda que o investigado deverá ser indiciado por quatro homicídios triplamente qualificado e quatro tentativas de homicídio triplamente qualificado.

O inquérito está sob responsabilidade da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Blumenau que vai apurar a dinâmica do crime desde o seu planejamento até a execução. Para isso a Polícia Civil também destacou equipes da Divisão de Roubos e Antissequestro (DRAS)/ DEIC e CORE que irão fazer um minucioso trabalho de coleta de provas e extração de dados de equipamentos eletrônicos. Ulisses Gabriel reforçou ainda que a DEIC e o Diretoria de Inteligência já realizam cinco operações envolvendo ameaças à escolas, por meio de monitoramento virtual.

O delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina, Ulisses Gabriel, informou ainda que o Governo do Estado criou na semana passada um grupo de trabalho integrado por equipes da Polícia Civil, Polícia Científica, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, secretarias de Assistência Social, da saúde e da Educação.

O objetivo do grupo é estabelecer um protocolo para a atuação preventiva, com análise das estruturas escolares, para garantir mais segurança no ambiente escolar e também como atuar em situações como a tragédia ocorrida nesta quarta-feira (05).

Outro fato destacado pelo delegado-geral é o uso da inteligência policial para intensificar as ações preventivas e de monitoramento da web. Ele ressaltou que esta já é uma prática da PCSC que constantemente faz operações policiais, com mandados de busca e apreensão na casa dos indivíduos que disseminam ameaças.

O comandante-geral da Polícia Militar, Coronel Aurélio José Pelozato da Rosa, relatou que recentemente foram realizados treinamentos com professores da região de Blumenau e no estado, com técnicas para estarem preparados para circunstâncias parecidas com a desta quarta. Além disso, providências serão tomadas para que a Segurança nas escolas seja intensificada. “Estamos realizando uma mudança na rotina dos instrutores do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) para que as aulas sejam feitas no primeiro turno escolar e, assim, o policial permanecer no local depois até o fim do turno escolar”, completou.

A perita-geral da Polícia Científica, Andressa Boer Fronza, destacou que foi efetuada a coleta e análise dos vestígios com o objetivo de materializar os fatos e compreender a dinâmica do crime. Também foram iniciados os exames necroscópicos e a identificação das vítimas no Setor de Medicina Legal da PCI.

O perito-superintendente regional em Blumenau, Tiago Lucheta, mobilizou todo o efetivo da unidade em torno do caso. Na sequência, foram iniciadas as análises e exames periciais complementares que subsidiarão as investigações da Polícia Civil. Os trabalhos contam ainda com o apoio da Superintendência da PCI em Joinville, que atua na análise e extração de dados de um dispositivo celular apreendido, assim como do setor de Inteligência do órgão pericial, que trabalha de forma integrada à Inteligência da Polícia Civil.

Também participaram da coletiva o prefeito de Blumenau, Mario Hildebrandt, a secretária adjunta de Estado da Educação, Patrícia Lueders, delegados da Divisão de Investigação Criminal de Blumenau, Rodrigo Raitez e Ronnie Esteves e o comandante do 3º Batalhão de Bombeiros Militares de SC, Diogo de Souza Clarindo.

PCSC
spot_img
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-