15 maio 2022 - 10:18

Nova Veneza adere ao programa Cidade Empreendedora do Sebrae/SC

Parceria foi oficializada nesta terça-feira (15) durante reunião, que também foi o primeiro encontro itinerante da entidade para discutir as ações de 2022

Nova Veneza é o 13º município do Sul catarinense a aderir ao programa Cidade Empreendedora do Sebrae/SC. A iniciativa busca impulsionar o desenvolvimento econômico das cidades. Em sete anos de atuação na região, já desburocratizou serviços, estimulou o empreendedorismo e fortaleceu, principalmente, os pequenos negócios.

A participação de Nova Veneza no programa foi oficializada nesta terça-feira (15) durante reunião no Hotel Bormon. Na ocasião, estiveram presentes consultores e diretores do Sebrae/SC e técnicos e autoridades da Prefeitura de Nova Veneza. O encontro também serviu para a entidade alinhar as suas ações em 2022 no estado.

Com a presença no programa, a administração de Nova Veneza já projeta diminuir o tempo de abertura de empresas, assim como desburocratizar alguns serviços e atualizar a legislação municipal vigente.

“Esse convênio que assinamos é para que seja criada uma cidade empreendedora, para que haja mais velocidade na criação de empresas. Hoje tudo tem que ser rápido. O Sebrae vai fazer esse trabalho de treinar o nosso pessoal para isso e, principalmente, atualizar a nossa legislação que está atrasada”, comentou o vice-prefeito Elzio Milanez.

Programa atua no desenvolvimento das cidades

O Cidade Empreendedora é uma das iniciativas do Sebrae que busca impulsionar os resultados socioeconômicos dos municípios. O programa já está presente em mais de 510 cidades do sul ao norte do Brasil.

Organizado em biênios, o programa é dividido em dez eixos de atuação: gestão municipal, lideranças, desburocratização, sala do empreendedor, compras governamentais, empreendedorismo nas escolas, inclusão produtiva, marketing territorial e setores econômicos, cooperativismo e crédito, inovação e sustentabilidade.

Sebrae com foco nos pequenos negócios

Em 2022, o Sebrae/SC planeja dar ainda mais atenção aos pequenos negócios, que foram um dos principais setores atingidos pela pandemia e que já iniciou o ano enfrentando a alta da inflação e os impactos econômicos causados pelo conflito na Europa.

“Ano passado foi um desafio principalmente para o pequeno negócio. Estamos enfrentando também um 2022, infelizmente, com a inflação em alta, pós-pandemia. Tivemos o infortuno de uma guerra que aumentou o preço das commodities. Isso vai impactar nos preços, no aumento da inflação, de juros e acontece em um momento em que o pequeno negócio ainda está endividado. Então, por isso, o Sebrae está muito preocupado e procurando ao máximo ajudar mais empreendedores a renegociar as suas dívidas e ampliar faturamento e mercado”, explicou o superintende Carlos Henrique da Fonseca.

O Sebrae/SC também assume uma nova visão ao longo deste ano. “Estamos com o enfoque no desenvolvimento territorial e na melhoria da produtividade do pequeno negócio. Então, a ideia é focar na produtividade da empresa e melhorar na região o ambiente de negócios, desenvolver a educação empreendedora, facilitar as compras públicas”, destacou.

Apesar dessa série de adversidades, Fonseca projeta um 2022 positivo para economia de Santa Catarina. “Não é um ano fácil, mas estamos confiantes, porque o nosso empresário apreendeu muito, se profissionalizou, reduziu custos durante o período de pandemia. Não tenho dúvidas que vamos conseguir superar”, afirmou.

Do digital para o presencial

Para enfrentar os desafios e atender as demandas desse novo momento, o Sebrae/SC está realizando uma série de mudanças. “Na pandemia, nos organizamos para fazer todo um atendimento digital, todo um esforço para traduzir as nossas soluções que eram presenciais em digitais para que o empreendedor não ficasse desassistido”, comentou o diretor técnico Luc Pinheiro.

“Agora, nós ampliamos muito o nosso orçamento para atuar nos territórios de forma presencial e voltar com tudo para ajudar o empresário. A pós-pandemia tem outros grandes desafios: inflação alta, toda a parte de crédito, recessão pela frente e outros elementos, como guerra que aumentam o preço de insumos. Então, é um cenário bem incerto para os empreendedores que precisam de todo o suporte do Sebrae”, revelou.

Planejamento

A proposta da entidade é realizar uma série de reuniões itinerantes pelas regionais do estado para se aproximar ainda mais dos negócios locais. A primeira já aconteceu nesta terça-feira, em Nova Veneza. Na oportunidade, foram discutidos ações e projetos para 2022, junto à diretoria.

“Encontros como esses melhoram consideravelmente a relação entre as lideranças, o afinamento dos propósitos com os quais pactuamos com a sociedade e, principalmente, uma melhoria de performance, haja vista que com mudanças de cenários mundiais, é melhor fazer um planejamento preventivo para depois não precisar correr atrás do prejuízo”, disse o diretor financeiro Anacleto Ortigara.

Texto: Richard Vieira / Partner NZBT

 

 

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-