22 junho 2024 - 9:33
- Anúncio -

Operação contra torneio de pássaros tem correria e apreensão de 40 aves em Armazém

Um torneio de canto de aves canoras de até R$ 50 mil foi alvo de uma batida sanitária e terminou com fuga de parte dos envolvidos e abandono de animais em  Armazém no Sul de Santa Catarina.

A ação realizada neste domingo (28) coordenada entre a Polícia Militar Ambiental (PMA) e a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), ocorreu apenas uma semana após uma intervenção semelhante em Tubarão, onde 49 aves foram apreendidas em circunstâncias semelhantes, com correria e fuga dos envolvidos.

Ambos os eventos desrespeitam uma determinação do governo estadual e do Ministério da Agricultura, que proíbe aglomerações de pássaros devido à prevenção da gripe aviária.

No sítio em Armazém, parte das aves foi abandonada dentro de gaiolas em uma área de matagal próximo a um rio, na tentativa de evitar a fiscalização. As 40 aves apreendidas, algumas avaliadas em até R$ 50 mil por colecionadores, pertencem a espécies canoras, reconhecidas por seus cantos harmoniosos, como o tico-tico-rei. Os proprietários não possuíam autorização para mantê-las em cativeiro. Após a apreensão, os pássaros serão submetidos à avaliação no hospital veterinário da Unisul em Tubarão e, se estiverem em condições, serão soltos em seu habitat natural.

Além das apreensões, a PMA emitiu 23 termos circunstanciados e 16 autos de infração ambiental, enquanto a Cidasc, responsável pelo controle de sanidade animal no estado, emitiu seis autos de infração. Os responsáveis pelos pássaros enfrentarão acusações por utilizar espécies da fauna silvestre sem permissão e por infração de medidas sanitárias preventivas, crimes dos quais muitos admitiram ter conhecimento.

O major Gilson Klein, à frente da PMA em Laguna, no Sul catarinense, destacou que alguns participantes alegaram saber que o evento estava proibido, mas, por ser uma prática cultural, optaram por ignorar as autorizações, indo de encontro à legislação.

A proibição de eventos com aglomeração de aves em Santa Catarina, vigente desde o ano anterior devido a surtos de gripe aviária, visa evitar a disseminação e mortandade da doença, que poderia comprometer as exportações da agroindústria bilionária do estado em caso de contaminação de aves comerciais.

Com informações do HC Notícias

spot_img
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-
<