21 maio 2024 - 9:57

Manifestação em Chapecó reúne produtores de leite para reivindicar melhorias no setor

Diversos produtores de leite da região Oeste de Santa Catarina participaram na tarde desta sexta-feira, dia 15, de uma grande manifestação em defesa da cadeia produtiva do leite e melhorias no setor, no Centro de Chapecó.

Os manifestantes exigem ações urgentes para equilibrar o mercado interno, incluindo a suspensão da importação de lácteos do Mercosul. Argumentam que a importação deve ser controlada para não interferir negativamente no mercado nacional brasileiro e só deve ocorrer se houver escassez interna.

Os produtores fizeram um pronunciamento expondo as pautas de reivindicações e explicando como elas afetam a atividade. Além disso, protocolaram a pauta de reivindicações junto aos representantes políticos, formalizando demandas e reforçando a seriedade de preocupações e propostas para o setor leiteiro.

A entrega deste documento marca um passo significativo na luta dos produtores pela justiça e equidade no mercado de laticínios.

O produtor de Abelardo Luz, Luiz Carlos Gomes, falou sobre a necessidade de barrar a importação de lácteos do Mercosul com urgência.

Admércio Schaparini, de Marema, destacou a necessidade de identificar claramente no rótulo os produtos importados do Conesul, incluindo a data de fabricação e o país de origem. Bruno Foletto, produtor de Lajeado Grande, ressaltou a importância de os laticínios cumprirem a lei N.12669/2012, que exige que o produtor seja informado sobre o preço real que receberá por litro antes de iniciar a entrega.

O produtor de Vargeão Alex Brandalise defendeu a garantia de um preço mínimo para o leite, citando que muitos produtores, especialmente da agricultura familiar, estão recebendo um valor menor do que o preço mínimo estabelecido pela Conab (Governo Federal) de R$1,88.

Já Douglas Costacurta, de Ouro Verde, propôs a criação de um fundo para fixar subsídios de ajuda para momentos de crise, que seja investido diretamente ao produtor de leite. Manifestante de Xaxim, Gustavo Dal Biacno, enfatizou que, quando necessário importar leite ou derivados, estes devem ser de qualidade comprovada e em condições de preço idênticas às brasileiras.

Henrique Bertotti, morador de Lajeado Grande, pediu a prorrogação das dívidas junto aos bancos públicos, privados e cooperativas de crédito nas linhas de Custeio e Investimentos. Anderson Vidi, de Xaxim, solicitou ao Mapa e às Secretarias Estaduais Agricultura que invistam em marketing positivo do leite nas mídias abertas e sociais, destacando seus benefícios nutricionais e os cuidados com saúde, nutrição e bem-estar animal.

Também de Xaxim, Marcelino Matiello pediu ao governo federal que aumente o aporte de valores dos sistemas “S” para projetos de inovação tecnológica (melhoramento genético, nutrição e qualidade do leite).

O xanxerense Eleandro Arsego pediu redução dos impostos Federais e Estaduais que incidem diretamente ao produtor de leite, como Funrural, ICMS e os impostos indiretos inseridos nos produtos e serviços usados na cadeia leiteira (Sanidade, nutrição, equipamentos envolvidos na produção do leite). Ele também falou sobre a sucessão familiar.

Durante as manifestações, todos os participantes levaram uma caixa de leite como ato simbólico de protesto. Este leite será revertido em uma ação solidária para as vítimas do ciclone no Rio Grande do Sul, demonstrando o espírito comunitário e solidário dos produtores de leite.

Fonte: Oeste Mais

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-Erro, não existe o grupo! Verifique sua sintaxe! (ID: 5)
-Anúncio-Erro, não existe o grupo! Verifique sua sintaxe! (ID: 4)
-Anúncio-