22 julho 2024 - 5:18
- Anúncio -

Júri em Forquilhinha condena homem que encomendou morte de desafeto a 18 anos de prisão

A sessão foi presidida pela magistrada titular da comarca, Elaine Veloso Marraschi.

Um homem de 60 anos foi condenado por homicídio triplamente qualificado, em sessão do Tribunal do Júri promovida na comarca de Forquilhinha na última quinta-feira (16/3), a pena de 18 anos e oito meses de reclusão. A sessão foi presidida pela magistrada titular da comarca, Elaine Veloso Marraschi.

Segundo a denúncia, após uma discussão com a vítima, um homem de 28 anos, em um bar, em decorrência de desentendimento anterior envolvendo a esposa da vítima e o réu, o denunciado determinou que um terceiro o matasse seu desafeto. Assim, em novembro de 2021, conforme ordenado, o executor do crime foi até a residência da vítima, localizada no Bairro Cidade Alta, a chamou pelo nome atraindo-a até a porta e desferiu dez disparos em sua direção, atingindo-a nas regiões da cabeça, pescoço, tórax, abdome e membro inferior direito. Os disparos foram a causa da morte do homem, por traumatismos múltiplos de órgãos intratorácicos por projéteis de arma de fogo. O laudo pericial apontou ainda que o homem teria sido atingido por cinco disparos após já ter caído no chão, não oferecendo qualquer resistência.

O Conselho de Sentença reconheceu, por maioria de votos, que o crime foi cometido por motivo fútil, mediante meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. O réu foi condenado a pena de 18 anos e oito meses de reclusão, em regime inicial fechado, e teve negado o direito de recorrer em liberdade. Cabe recurso da decisão ao TJSC. Com relação ao executor do crime, o processo foi cindido e suspenso, pelo fato do homem estar foragido desde a época dos fatos, mas este foi preso recentemente e o processo criminal será reaberto. (Ação Penal 5002105-71.2021.8.24.0166)​

Fonte: TJSC

spot_img
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-
<