24 outubro 2021 - 10:40

Identificado foco de dengue em Cocal do Sul

A Vigilância Epidemiológica de Cocal do Sul identificou nesta semana um foco do mosquito Aedes aegypti, responsável pela dengue, zika e chikungunya. O foco foi encontrado em um pátio próximo de um posto de combustível, na Rodovia Maximiliano Gaidzinski, na SC-108, no Centro da cidade. Em virtude disso, a Vigilância Epidemiológica está realizando uma ação com os agentes de Saúde para vistorias em um raio de 300 metros do local, à procura de outros possíveis focos do mosquito.
A agente epidemiológica de Cocal do Sul, Kariny Silveira, explica que foram adotados locais estratégicos para instalar armadilhas, com o objetivo de descobrir possíveis focos do mosquito Aedes aegypti. Entre os locais escolhidos estão borracharia, ferro velho e lugares onde há grande circulação de caminhões, como é o caso do pátio que fica anexo ao Posto Cocal, onde foi encontrado um foco do mosquito.
De acordo com a agente epidemiológica, é preciso que a população se conscientize e redobre os cuidados. Ela reforça o alerta para que todos possam contribuir com a prevenção da dengue, evitando a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, eliminando água armazenada que podem se tornar possíveis criadouros, como em vasos de plantas, lagões de água, pneus, garrafas plásticas, piscinas sem uso e sem manutenção.
Vale ressaltar que os moradores de Cocal do Sul podem fazer denúncias pelo número 3444-6111. Dessa forma, os agentes podem realizar as vistorias nos locais suspeitos de foco do mosquito.
*Orientações*
A Vigilância Epidemiológica do município recomenda que a população siga as orientações para evitar a proliferação do mosquito da dengue:
– Não deixar recipientes com água parada, eliminar os existentes;
– Colocar o lixo em sacos fechados;
– Não jogar lixo em terrenos baldios;
– Furar latas e lixeiras para que não acumule água;
– Deixar os pneus sob abrigo;
– Manter baldes, caixas d’água e piscinas sempre tampadas;
– Fazer a limpeza das calhas.
*Sintomas da doença*
– Febre alta;
– Dor abdominal intensa e contínua, ou dor quando o abdome é tocado;
– Vômitos persistentes;
– Acúmulo de líquidos;
– Sangramento de mucosas (principalmente nariz e gengivas);
– Letargia (perda de sensibilidade e movimentos) ou irritabilidade;
– Hipotensão postural (tontura e queda de pressão em determinadas posições)
– Hepatomegalia (aumento do fígado) maior do que 2 cm;
– Aumento progressivo do hematócrito (porcentagem de glóbulos vermelhos ou hemácias no sangue).
- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-