28 julho 2021 - 9:50

FUTEBOL. Elen Portal e a sua trajetória no esporte mais popular do Brasil

Árbitra-assistente conta um pouco de sua carreira.

Gaúcha de Gravataí e residente na cidade de Criciúma/SC, Elen Portal atua como árbitra-assistente no quadro da Federação Catarinense de Futebol (FCF), função também conhecida no meio do futebol pelo termo “bandeirinha”, desde 2006. Formada em Educação Física, exerce também outra atividade dentro da referida área numa academia de ginástica/musculação no município em que reside. A nossa reportagem, Elen nos fala um pouco de seu ingresso na arbitragem do futebol; a mesma atua também no esporte amador e é muito conhecida em nossa região. Confira:
>> Início de tudo. Fale-nos acerca de seu ingresso na arbitragem.
Elen: “iniciei em 2004, um ano bem conturbado para mim por motivos pessoais. Necessitava de uma renda-extra e então, conheci a arbitragem. Comecei no amador na Liga Atlética da Região Mineira (LARM), em Criciúma, atuando em partidas da categoria Juvenil aos sábados e domingos, e a partir daí, fui me interessando e me aperfeiçoando cada vez mais na função de árbitra-assistente”.
>> Atuas tanto no futebol Profissional quanto no Amador, esse no momento paralisado em grande parte devido a Covid-19. Tem diferença, muita diferença ou se equivalem em termos de atuação?
Elen: “no meu caso ambas as situações se equivalem, já que procuro fazer sempre o melhor, com foco e concentração. Particularmente no Amador, procuro levar mais ‘de boa’, porém sempre com respeito e foco extremo, até porque conheço muitas pessoas no dia a dia e vice-versa, algumas até próximas a mim. Já no Profissional, o ambiente e o cenário são totalmente opostos”.
>> Na condição de árbitra-assistente, tem alguém em que te inspiras na função?
Elen: “Nominalmente, não. Admiro quem trabalha honestamente e que alcançou o auge na carreira, com muito estudo, cursos e treinamentos, abdicando muitas vezes do lado pessoal. Em particular, sempre gostei de futebol e acompanho jogos tanto no Brasil quanto no exterior”.
>> Uma atuação sua inesquecível seja no Profissional e/ou no Amador.
Elen: “no Profissional, Brusque e Chapecoense em 2017 pelo Campeonato Catarinense, um jogo intenso do início ao fim. Restando dez segundos para o término, o Brusque marcou um gol e a Chape pediu impedimento no lance. Porém, o gol foi no limite da linha de impedimento. Mas deu tudo certo. Procuro sempre estar focada. Em relação ao Amador, fui para um jogo em que dias antes perdi a minha mãe. Até na ocasião os organizadores da competição me perguntaram se eu estava apta emocionalmente para atuar e eu respondi que sim. Porém, fiz apenas uma ressalva: que escalassem um árbitro em que eu tivesse plena confiança e assim foi. Os jogadores também foram cordiais e respeitosos comigo, alguns já sabedores do ocorrido. No fim, tudo transcorreu normalmente”.
Por: Rodolfo Devilla!
- Anúncio -
-Anúncio-