23 maio 2024 - 9:46
- Anúncio -

Famílias apostam no planejamento sucessório para garantir estabilidade patrimonial

No contexto das discussões sobre a reforma tributária, o Planejamento Sucessório emerge como uma peça fundamental nas estratégias que envolvem o patrimônio e as relações familiares. Além de assegurar uma transição patrimonial eficaz, essa prática desempenha um papel crucial na redução de conflitos, na promoção da estabilidade e na orientação da governança. De acordo com Marcelo Paim Tavares, advogado especializado na área, o processo de sucessão é conduzido mediante um estudo de viabilidade personalizado.

Uma das grandes vantagens destacadas por Paim Tavares é a economia potencial que o planejamento sucessório oferece, podendo representar uma redução de até 60% nos custos em comparação com o inventário tradicional. “O processo também é mais rápido do que um inventário tradicional”, destaca o especialista. Uma constatação que não apenas evidencia a inteligência estratégica dessa abordagem, mas também a transforma em uma resposta sólida e efetiva para os desafios contemporâneos.

O advogado explica, ainda, que o planejamento sucessório não se limita apenas a aspectos financeiros, mas também consideram os valores, desejos e objetivos individuais e familiares. “A iminência de mudanças na legislação tributária reforça a importância dessa prática. Ao antecipar possíveis impactos das alterações legais, o planejamento sucessório torna-se crucial para proteger os interesses da família e otimizar a estrutura tributária existente”, destaca Tavares.

Vale lembrar que, para o planejamento e a execução de um processo assertivo e personalizado, a atuação de profissionais especializados, como advogados, contadores e consultores financeiros, é fundamental. “Com um estudo prévio de viabilidade, é possível identificar os melhores caminhos para a organização do patrimônio e a redução dos riscos”, complementa o especialista, ao lembrar que para cada caso há uma solução específica. “Em um cenário de incertezas econômicas e mudanças legislativas, investir no Planejamento Sucessório é mais que uma medida preventiva, é uma abordagem proativa para garantir a continuidade e preservação do legado familiar”, concluí.

Colaboração :Letícia Souza

spot_img
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-