18 maio 2022 - 11:05

Estrada Iluminada: Futebol e drogas

Sempre falaram que o esporte é algo saudável e quem vai por este caminho torna-se uma pessoa melhor fisicamente. Concordo! Também dizem: “temos de incentivar ele no esporte pois assim ele fica longe das drogas”. Será?

Mas falando em esportes, temos assistido escândalos eclodindo em vários locais. Recentemente tivemos apedrejamento de ônibus que transportava jogadores, invasões de campo e confronto de torcidas em via pública, demonstrando o desequilíbrio e o desejo que ainda sente o ser humano de praticar o mal.

Vemos também que não é apenas por parte de torcedores fanáticos que a violência se apresenta. Jogadores também exteriorizam raiva, pois dentro das quatro linhas agem com deslealdade para com o colega, chegando as vias de fato. Até treinadores explicitam violência quando chutam garrafinhas d’agua ou xingam o juiz.

Recentemente assistimos a fúria de um jogador agredindo um árbitro, desferindo chutes na cabeça violentamente. Fora as ofensas que são ditas verbalmente ou por sinais, e manifestação de racismo por parte de torcedores.

Punições são brandas. Bem diferente do ambiente fora do futebol, pois numa empresa deslizes são punidos com demissão, e na função pública respondemos a processo administrativo que pode ensejar perda do cargo. Mas no futebol por exemplo, aos clubes não interessa punição severa, pois acabariam ficando sem o profissional. O máximo que ocorre em certos casos é e perda do mando de campo por período.

Claro que desde os tempos idos o homem digladiou nas arenas em nome de um espetáculo que envolvia sangue, mas era época da barbárie, onde eram colocadas nos locais de espetáculos pessoas de má conduta para serem devoradas pelas feras, ou haviam os torneios de centuriões até a morte. É bem verdade que vemos no futebol a violência maior, pois é o esporte mais popular, já que nos primeiros anos de vida é costume presentear-se o filho com uma bola, incentivando-o ao esporte na intenção de que fique fora das drogas.

Não basta que jogadores demonstrem fé antes dos espetáculos e elevem ao alto a cabeça e braços agradecendo ao Pai o gol feito. É preciso mais equilíbrio, menos ofensas para que as arenas seja palco de espetáculo sadio e não de violência que acaba insuflando torcedores fanáticos que muitas vezes estão sob efeito de drogas, e praticam crimes que ensejam a morte de pessoas. Hoje a droga está entrelaçada na sociedade e vemos muitos esportistas usuários, o que afeta o comportamento em geral.

Não basta demonstração de fé, é necessário praticar em todos os níveis o que Jesus nos ensinou.

Por: Nilton Moreira

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-