domingo, 5 julho 2020 - 1:58

Desassoreamento de rio ajuda no abastecimento e sobrevivência dos peixes em São Ludgero

A região sul de Santa Catarina vem há vários meses sofrendo com a falta de chuvas. Para amenizar os efeitos da estiagem, a Prefeitura de São Ludgero vem realizando no Rio Braço do Norte, trecho que pertence a seu território, o desassoreamento, com a retirada de seixo para aprofundamento da calha do Rio e aproveitamento do bota fora para reduzir os custos na realização de pavimentações.

Essa ação está contribuindo com a preservação e sobrevivência dos peixes e de forma direta no abastecimento da cidade de São Ludgero e demais ao longo da Sub-bacia do Rio Braço do Norte e Baixo Tubarão.

A constatação foi registrada nos relatórios de monitoramento do Responsável Técnico Alexandre Martins da Silva, Engenheiro Sanitarista, que integra a equipe técnica da Associação de Municípios da Região de Laguna (Amurel).

Além da batimetria executada inicialmente e comparação com os níveis de água atuais, foram visitados os locais que já foram realizadas as retiradas de seixo e que se transformaram em grandes bolsões de água. “O município de São Ludgero tem todas as licenças e autorizações, realiza o procedimento repassado e respeita todas as orientações. Além de utilizar o seixo para realizar pavimentações, fazendo muito mais com menos, e aproveitando muito mais o dinheiro público, está contribuindo diretamente com a preservação das espécies, o Meio Ambiente, e o abastecimento das famílias e toda cadeia produtiva da agricultura abaixo de seu território”, pontua.

Em São Ludgero o abastecimento de água é realizado pelo Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), e em função da melhor qualidade das águas de outros córregos, a água do rio Braço do Norte não é utilizada.A cidade utiliza captações de água oriundas de mananciais menores que, diante da estiagem de vários meses, também estão chegando ao estado crítico. Nas comunidades do interior, muitas nascentes já secaram.

O Samae vem alertando os consumidores desde janeiro de 2020 para economizarem e usarem de forma racional a água, evitando a lavação de veículos e calçadas com mangueira aberta, visando garantir o abastecimento básico.

Segundo a Diretora Geral do Samae, Judite Peters Schurohff, a estiagem vem desde 2019. “A previsão é que o ano de 2020 será de pouca chuva e necessitamos de uma mudança de comportamento por parte de muitas pessoas. O pedido é para que todos utilizem somente o necessário e não esbanjem. Se a estiagem prevalecer como está prevista e o consumo exagerado continuar a situação se complicará ainda mais”, informa a diretora.

Para o prefeito de São Ludgero, Ibaneis Lembeck, o Iba, a gestão municipal segue com os trabalhos, oportunizando obras e melhorias à população, mas sempre respeitando o Meio Ambiente. “A equipe técnica da Amurel sabe de nossa responsabilidade com o dinheiro público e o respeito que temos em relação às normas e ao Meio Ambiente”, resume.

Comunicação SL

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-