25 setembro 2020 - 9:30

Comunidades de Orleans ajudam na elaboração do Plano Municipal de Turismo

Na semana passada, três reuniões reuniram moradores de Orleans para ajudar na elaboração do Plano Municipal de Turismo, que está sendo desenvolvido pelo Centro Universitário Barriga Verde – Unibave para a Prefeitura de Orleans. O documento será feito para apontar os potenciais da cidade no turismo e as possíveis políticas públicas que precisam ser implantadas para receber o turista. Para que o Plano seja eficaz a colaboração de todos do município foi necessária.

O primeiro encontro com ocorreu com na comunidade do Barracão e reuniu cidadãos das comunidades de Barracão, Rodeio do Açúcar, Rodeio da Anta, Rio Carlota, Furninhas, Rio Pinheiro Alto, Rio Pinheiro Baixo, Rio das Furnas e Vila Nova. O segundo encontro foi em Brusque do Sul e coletou as opiniões de moradores do Chapadão, Morro da Palha, Três Barras, Curral Falso, Rio Minador, Boa Vista, Rio Hipólito, Rio Capivaras Alta, Ponte Preta, Rio Laranjeiras, Rio Capivaras Baixa.

O último encontro ocorreu no Centro de Vivência do Museu ao Ar Livre Princesa Isabel, anexo ao Unibave. Pessoas de vários bairros de Orleans, além das comunidades Taipa, Serraria, Rio Belo, Rio Novo, Oratório, Sesmaria, Palmeira Alta, Tirão Comprido, Pindotiba, Santa Clara participaram das ações das pesquisadoras.

Durante as três noites de pesquisa com os cidadãos orleanenses, as pesquisadoras explicaram a importância do Plano de Turismo e, logo após, promoveram uma atividade. Os participantes deveriam desenhar os mapas das comunidades e bairros de Orleans com atrações potencialmente turísticos.

A moradora da comunidade de Rio Novo, Thalia Jaine Vieira Böger, falou da experiência. “Foi muito importante, porque percebemos que não paramos para notar o tanto de potencial que a nossa comunidade e o nosso município tem em si. Isso ajudou muito a abrir a cabeça de nós, que somos produtores rurais, para ver o tanto de potencial que a nossa comunidade traz hoje e para o nosso futuro. Hoje o produtor rural está abrindo a sua mente para o turismo, porque não é só trabalhar, mas as propriedades têm casas antigas, a produção pode ser visitada, como cachaçarias, comércio de alimentos, queijo colonial, ovo colonial, tudo isso que na cidade não se encontra”, comenta.

A turismóloga Ivanir Salete Biff, que compõe a equipe de pesquisa, ressalta que as expectativas foram alcançadas com as reuniões. “Ficamos muito satisfeitas com a participação do pessoal da comunidade, principalmente, da parte rural. Eles estavam dispostos a ajudar e mapear os locais, identificar o que tem e o que falta. Havia muitas pessoas com interesse em começar novas atividades relacionadas ao turismo. Nossa expectativa foi superada com a participação de toda a comunidade, sejam dos bairros ou das comunidades rurais. As pessoas que estão hoje inseridas e interessadas estavam presentes e isso foi muito bom”, comemora Ivanir.

A pesquisadora também explicou quais os próximos passos para a entrega do Plano de Turismo. “Precisamos fazer uma análise da situação com todos os dados, fazer a tabulação dos dados da pesquisa da demanda, fazer a análise SWOT e depois propor as ações. Várias ações vão ser propostas com prioridades, com prazos e parcerias nas execuções. Tem ações de curto, médio e longo prazo. A expectativa é que conforme o tempo passa vai isso vai sendo colocado em prática e novas ações vão surgindo. Vamos procurar colocar o que é de extrema importância para esse momento para dar o ponta pé inicial no turismo em Orleans”, detalha a turismóloga.

O prefeito de Orleans, Jorge Koch, também comentou a importância da pesquisa para o município. “Esse Plano Municipal de Turismo é o que queremos para a nossa comunidade, o que o turismo vai oferecer e o que eu posso fazer junto com o turismo. Não é só esperar dos órgãos públicos ou de outras entidades, mas é o que eu posso compartilhar de bom para melhorar o turismo da nossa cidade. Temos muito potencial. É dito que nós estamos entre a Serra e o Mar. Em Laguna e no Rincão temos o Mar e em Lauro Müller temos Serra do Rio do Rastro. Estamos exatamente no meio dessas potencialidades, então Orleans tem que estar preparada para receber os turistas que vão à Serra do Rio do Rastro, com hotéis, pousadas, com gastronomia, com locais bonitos, com a cidade limpa e florida. Não temos dúvida que a potencialidade de Orleans é muito forte, inclusive por causa do Museu ao Ar Livre, que é o único da América Latina, e também o Paredão, que talvez seja a maior relíquia que temos aqui no Sul”, analisa o prefeito.

O Plano Municipal de Turismo deve ser apresentado para a comunidade em sessão da Câmara de Vereadores de Orleans no dia 20 de fevereiro.

ASCOM Unibave

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-