domingo, 5 julho 2020 - 12:40

Com a falta de chuva Samae de São Ludgero pede aos consumidores que usem de forma racional a água

Diante da estiagem prolongada que atinge São Ludgero e toda a região o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) com os locais de captações de água chegando ao estado crítico solicita aos consumidores que economizem e usem de forma racional a água, evitando a lavação de veículos e calçadas com mangueira aberta, visando garantir o abastecimento básico. Os mananciais estão em situação crítica, bem abaixo do nível normal, e requer atenção.

        O alerta já foi tornado público sobre a preocupação com a estiagem no mês de janeiro. A Diretora Geral do Samae, Judite Peters Schurohff, explica que a previsão apresenta um ano com pouca chuva e é preciso uma mudança de comportamento por parte de muitas pessoas. “O pedido é para que todos os consumidores economizem e utilizem somente o necessário, não esbanjem. Se a estiagem prevalecer como está prevista e o consumo exagerado continuar, poderá ser necessário o racionamento. O pedido é para priorizar as necessidades básicas”, informa a diretora.

        Ao longo dos últimos anos os investimentos aconteceram para garantir o abastecimento e aumento na demanda do consumo. “Passamos de 2 para 5 pontos de captações de água, ampliamos a capacidade da Estação de Tratamento de Água (ETA). A situação é a soma da estiagem e do aumento do consumo. Nossos mananciais que formam nossas captações estão chegando no nível crítico”, alerta Judite. As chuvas que tem caído desde o dia 1º de janeiro estão muito longe do suficiente para restabelecer o nível das captações. “São chuvas que amenizam o calor, mas não recuperam os níveis dos mananciais”, relata.

       Fatores que podem estar contribuindo para a diminuição de vazão dos mananciais em São Ludgero, além da estiagem, são os desmatamentos, reflorestamentos com eucalipto, nas proximidades de nascentes, em especial, áreas de recarga dos mananciais além do uso para irrigação e agropecuária.

       O Samae de São Ludgero orienta os consumidores para que tenham uma caixa d’água instalada, garantindo assim uma reserva para as necessidades básicas. A diretora Judite aproveita para pedir que os consumidores comuniquem a Autarquia Municipal pelo número 99987-0205 sobre qualquer ocorrência ou suspeita de vazamento em redes.

      A estiagem – Segundo a Diretora Geral do Samae, Judite Peters Schurohff, a estiagem vem de 2019 e já completa meses.

Entenda mais sobre o abastecimento/consumo de água através do Samae em São Ludgero:

– Nos anos de 2005/2006 o Samae de São Ludgero atendia uma população de aproximadamente 8.600 pessoas e a vazão média de água distribuída era 28 litros/segundo e em horários de pico chegava a 35 litros/segundo. Na época foram iniciados os projetos para captação de água no manancial de Rio Pinheiros (manancial reserva para época de estiagem).

 – Em 2019 com uma população urbana chegando a 12.000 pessoas o consumo diário médio chega  a 2.700.000 litros de água ou seja 115 m3/hora, em horários de pico atingindo 185 m3/hora, ou seja, 51,3 litros/segundo de água distribuída, o consumo per capita ultrapassa 200 litros habitante/dia.   

Colaboração: Bertoldo Kirchner Weber

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-