3 dezembro 2021 - 1:05
- Anúncio -

Cisto subcondral no acetábulo: sãoludgerense vive drama causado pela doença

Valdete Mattos, de 61 anos, tem passado por um grande transtorno causado pela doença que afeta a região do quadril e precisa da sua ajuda para arrecadar fundos para cirurgia

Grande parte da população brasileira depende do Sistema Único de Saúde para realizar procedimentos. Mas muitos serviços médicos não são abrangidos pela rede pública. Esse é o drama vivido pela são ludgerense Valdete Mattos, de 61 anos. Valdete, foi diagnosticada com com cisto subcondral no acetábulo, uma doença que afeta a região do quadril e acaba com o líquido sinovial responsável pela lubrificação da estrutura articular móvel.

Segundo a filha de Valdete, a funcionária pública Sheila Mattos Medeiros, de 42 anos a mãe vem sofrendo com problemas no quadril há quase cinco anos. “Nós passamos por mais de quatro médicos, sendo que fomos em Braço do Norte, Tubarão, Florianópolis e até um médico do próprio SUS (Sistema Único de Saúde)”. Todos eles apontaram para a necessidade de uma cirurgia de uma prótese de quadril total, abrangendo todo o lado direito.

Atividades simples, como sentar-se ou utilizar do vaso sanitário se tornaram insuportáveis para Valdete. Sheila explica que, devido ao osso sair do local, as dores são imensas. E com o passar dos dias, a tendência do problema é piorar.  Atualmente, Valdete toma cerca de 10 remédios, em decorrência do problema no quadril e também de outras doenças que surgiram, como artrite e osteoporose. Além disso, a família está com problemas financeiros, pois Valdete não possui renda e teve seu auxílio doença cancelado. “Minha mãe recebia um salário mínimo, depois cortaram para meio salário, e por fim, no último depósito recebemos apenas R$ 80,00”. Desde então, Valdete não tem nenhum benefício.

Por isso, Sheila e Valdete precisam da sua ajuda. A prótese que solucionaria o problema de Valdete não é oferecida pelo SUS, por que razão, a filha iniciou uma campanha que pretende arrecadar fundos para custear os gastos do tratamento, que são de R$ 30.000,00 (trinta mil reais). A cirurgia será realizada em Florianópolis. “Nós precisamos juntar o dinheiro para que minha mãe possa realizar o procedimento cirurgico. É nesse momento que nós devemos realizar o bem, sem olhar a quem”, finalizou Sheila.

Para contribuir, os dados da conta de Sheila são:

23571-5

Agência 3850

Op 001

Caixa Econômica

Pix: 030.231.219-66

Sheilas Mattos Medeiros

Por Anna França – Jornal Cidade Notícias | Com informações do Reporter Sul

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-