sábado, 11 julho 2020 - 8:09

Cidasc garante a produção e segurança sanitária dos alimentos de origem animal no sul de Santa Catarina

A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina – Cidasc, do Departamento Regional de Tubarão, mesmo com a pandemia mundial da Covid-19 em curso, adotou medidas para a continuação da produção de alimentos de origem animal de qualidade e inócuos ao consumo nos 105 estabelecimentos inscritos no Serviço de Inspeção Estadual (SIE) pertencentes ao Departamento, sendo 7 com adesão ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA).

De acordo com a médica veterinária e responsável regional pelo Serviço de Inspeção Estadual, Margarida Seico Akama Yokemura, todos os médicos veterinários do Departamento Regional da Cidasc de Tubarão, adotaram ações específicas para a continuação dos serviços de fiscalização da inspeção. “Cada profissional precisou realizar alguns ajustes nos processos de trabalho para lidar com o cenário atual, porém com enfoque na manutenção dos serviços essenciais prestados e de não prejudicar a segurança da produção, armazenamento e dos alimentos fornecidos à população”, explica a médica veterinária Margarida.

Atualmente, o Departamento Regional de Tubarão atende 25 municípios, todos com estabelecimentos de produtos de origem animal nas áreas de carnes e produtos cárneos, leite e produtos lácteos, mel e produtos apícolas, ovos e pescado e seus produtos derivados.

Foto: Dayane Santos de Almeida

O Serviço de Inspeção Estadual do Departamento Regional de Tubarão atendeu, nos meses de março e maio, todas as demandas de inspeção e fiscalização junto aos estabelecimentos submetidos à inspeção estadual, vale destacar que neste período 21 estabelecimentos tiveram a continuação dos processos de obtenção do SIE.

“A manutenção do abastecimento público de produtos de origem animal para consumo humano e de produtos destinados à alimentação animal com segurança à sociedade é uma preocupação neste momento, já que consumir produtos sem inspeção sanitária, podem acarretar sérios problemas de saúde e sobrecarregar ainda mais o sistema de saúde”, destaca Margarida Seico Akama Yokemura.

Para a médica veterinária e também gestora do Departamento Regional da Cidasc de Tubarão, Angela Zimmermann o atual momento acende um alerta também para a qualidade e inocuidade dos alimentos. “É importante que todo o setor produtivo preze sempre pela segurança do alimento e a saúde de quem vai consumir”, alerta a gestora.

Atualmente, nosso país possui três tipos de Serviços de Inspeção:

1) Serviço de Inspeção Federal (S.I.F.);

2) Serviço de Inspeção Estadual (S.I.E.);

3) Serviço de Inspeção Municipal (S.I.M.).

A diferença dos selos está na hora da comercialização dos produtos, limitando a comercialização na esfera municipal, estadual ou federal.

É importante destacar que, independentemente do tipo de selo de inspeção, a população irá consumir um produto com qualidade e segurança, ao contrário de produtos clandestinos. Os alimentos clandestinos são responsáveis por eventos de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA).

Como o consumidor pode contribuir com o trabalho da Cidasc:

Os consumidores catarinenses que verificarem irregularidades na produção de produtos de origem animal (carnes e produtos cárneos, leite e produtos lácteos, mel e produtos apícolas, ovos e pescado e seus produtos derivados), abate clandestino e fraudes devem sempre comunicar à Cidasc ou denunciar no telefone da Ouvidoria do Estado (0800-644 8500) ou no site www.ouvidoria.sc.gov.br/.

Fonte: Assessoria de Comunicação – Cidasc

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-