7 março 2021 - 2:48

Alta de impostos sobre o tabaco preocupa Câmara Setorial

Se aprovada, a medida elevará os impostos sobre o cigarro brasileiro dos atuais 81% para 115%

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, manteve reunião com os presidentes das Câmara Setoriais, na tarde do dia 05 de fevereiro. Na pauta, informações sobre as prioridades de cada Câmara. O presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco, Romeu Schneider, participou da reunião que, devido à pandemia da Covid-19, foi realizada de forma virtual. “Para a Câmara do Tabaco, a maior preocupação é com a Reforma Tributária pretendida pelo Ministério da Economia que, se aprovada, elevará os impostos sobre o cigarro brasileiro dos atuais 81% para 115%”, explica Schneider.

Ele ainda destaca que, no entendimento da Câmara Setorial, a elevação dos impostos sobre o cigarro legal irá provocar um favorecimento ao contrabando, estimulando o uso do cigarro ilegal. “Encaminhamos, ainda no fim de 2020, um documento com nossa preocupação com a Reforma Tributária, no que tange à elevação dos tributos sobre o cigarro, à ministra Tereza Cristina, à Frente Parlamentar da Agricultura, da Câmara dos Deputados, e também para a Frente Parlamentar da Agricultura Familiar”, revela o presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco.

Outro assunto foi a preocupação com a realização ou não da Conferência das Partes (COP) que seria realizada em 2020, sendo transferida para 2021, devido à pandemia da Covid-19. “Até o momento, não temos nenhuma informação se a COP 9 irá acontecer este ano ou será, novamente, transferida. E este é um assunto muito importante, pois envolve e atinge todo o setor produtivo de tabaco”.

Por Luciana Jost Radtke/Afubra

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-