25 setembro 2020 - 8:48

Túmulo do Padre Vittorio Pozzo pode ser visitado em Rio Pinheiros Alto, em Orleans

Padre Vittorio Pozzo perdeu a vida enquanto banhava-se na comunidade de Rio Pequeno, em Grão- Pará. O motivo do acidente foi um mistério durante décadas. O acontecido só foi esclarecido anos mais tarde, quando um imigrante polonês gravemente enfermo revelou os fatos.

Ele relatou que quando era criança percebeu que o religioso parou para nadar no Rio Pequeno, quando estava a caminho da comunidade de São João Batista, em Grão Pará. Por brincadeira, ele arremessou uma pedra para assustá-lo. Esta atingiu o padre na cabeça, ele desmaiou e pereceu afogado à margem.

Na comunidade de Rio Pinheiros Alto, em Orleans, está o túmulo, um museu e o Instituto Cultural Padre Vittorio Pozzo, fundada no ano de 2001, com intuito de preservar o patrimônio histórico e cultural, manter viva entre os habitantes a curta permanência do padre italiano Vittorio Emanuele Pozzo no início do século passado.

Ele era natural de Butigliera D’Asti, região do Piemonte, chegou ao Brasil em dezembro de 1900 e faleceu em fevereiro de 1902.

No cemitério da comunidade de Rio Pinheiros Alto, em Orleans, é possível também ainda observar outros túmulos centenários, que marcam a história dos imigrantes, pertencentes às famílias Redivo, Debiasi, Menegasso, Zomer, Perin, Ascari e Crocetta entre outras. A comunidade é berço da colonização italiana em Orleans. Em 9 de janeiro de 1884, essas famílias davam início a uma grande história que é preservada pelos seus descendentes de diversos sobrenomes conhecidos na Centenária Orleans e região.

 

Por: Gerciana Ascari – Imprensa News Sul

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-