25 setembro 2020 - 6:17

Gravidez na Adolescência! Se ame, cuide-se. proteja-se!

Relatos sobre a gravidez na adolescência vem destacando um aumento na taxa de fertilidade para estas pessoas quando comparadas a mulheres adultas, destacando os países menos desenvolvidos, como é o caso da América Latina, principalmente o Brasil. Segundo o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Lei nº 8069/90 adolescentes são os indivíduos com idade entre 12 e 18 anos. Já no ponto de vista da Organização Mundial da Saúde (OMS) este período envolve a população de 12 a 19 anos.

Ressaltamos que no Brasil, cerca de 20 a 25 % do total de mulheres gestantes são adolescentes, sendo que uma em cada 5 gestantes têm entre 14 e 20 anos de idade (Santos & Junior, 1999). Ao contrário dos países ocidentais, onde as incidências de casos só diminuem, quando relacionado a este tipo de ocorrência. (Pesquisa GRAVAD, 2006).

Cabe esclarecer que nesta fase, a adolescente passa por umas transformações físicas impostas pela sua faixa etária, além de um longo período de profundas mudanças biopsicossociais, especialmente quando estiver relacionada a maturação sexual, busca pela identidade adulta e a autonomia frente aos pais, ou seja, independência em todos os sentidos. Em relação a gravidez, este período de vida oferece complicações tanto para a adolescente, quanto para os envolvidos na situação.

Uma gravidez não planejada revela constantemente a exposição a algumas situações de risco, está conduta poderá refletir na adolescente a partir desta fase da vida, onde a adolescência precisa ser compreendida através da inter-relação, caracterizados pela interação progressivamente reciproca e mais diversificada a ponto de poder classificar como um ser humano ativo. A literatura tem classificado a gravidez na adolescência como um problema de saúde pública, essencialmente pelo fato de proporcionar riscos ao desenvolvimento da criança gerada pela adolescente. (Gontijo & Medeiros, 2004). No entanto, não é sempre que podemos considerar a gravidez como sendo um fator problemático. (Cowan Cowan e Shulz (1996).

Outro sim, destacamos que o aumento nas taxas de gravidez estão associados à diferentes causas, podendo variar em diferentes religiões, complicações associadas a fatores de riscos e os aspectos socioeconômicos que atingem as crescentes classes sociais, o que resulta na materialização de uma forte relação entre pobreza, baixa escolaridade e idade para engravidar (gravidez precoce), e entre outros fatores que estão relacionados a causa, que são; diminuição global para a idade média da menarca e da primeira relação sexual que contribuem para um cenário de risco para o aumento desta taxa indesejada de gravidez.

Todavia, o surgimento desta gravidez compromete as figuras desinteressadas em cumprir o seu papel de mãe da criança, o que tornou- se algo muito comum na gravidez precoce (caracterizada pelo período da adolescência), e o que condiz com um certo equívoco na relação, o que impedi a adolescente de vivenciar os seus momentos tão aguardados nesta idade, a dependência dos pais, em relação ao nível econômico por causa de uma gravidez inesperada.  (Figueiredo, 2001).

Fontes: http://www.scielo.br/pdf/pe/v15n1/a09v15n1.pdf

 

- Anúncio -
-Anúncio-