31 outubro 2020 - 6:35

FUTEBOL Cem vezes Kétlen

Rio-fortunense alcança marca histórica pelo Santos.

Na história. O dia 13 de setembro de 2020 já está marcado na história das Sereias da Vila e também, do futebol feminino brasileiro. Maior artilheira do Santos Futebol Clube, a atacante Kétlen Wiggers balançou as redes com a camisa do clube alvinegro pela centésima vez dias atrás, na Arena Barueri em São Paulo, vitória por 2 a 0 sobre o Minas Brasília pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro Feminino. Com o resultado, as comandadas de Guilherme Giudice seguem na liderança da competição, agora com 24 pontos ganhos, mesma pontuação do Corinthians. Na seqüência, aparece a dupla Gre-Nal com 18; Avaí/Kindermann, equipe catarinense, soma 17 ao lado do Palmeiras; Ferroviária/SP 16; São Paulo 14; São José/SP e Cruzeiro somam 13; Flamengo 12; Iranduba/AM 9; Minas 8; Audax/SP tem quatro e ainda sem pontuar – Vitória e Ponte Preta. Na próxima rodada, as Sereias da Vila, nome dado a equipe feminina do Peixe, visitam o Palmeiras dia 24.
Nas redes sociais, a atacante de 28 anos e que é natural do município de Rio Fortuna/SC, comemorou o ‘feito’ inédito. O atacante Robinho, revelado na base santista e que está jogando no exterior, gravou um vídeo a parabenizando pela marca, bem como o atacante Marinho, atualmente no Peixe. Depois de Coutinho, Kétlen é a atleta mais jovem da história do Santos a marcar um gol: 15 anos, quatro meses e vinte dias, superando inclusive Pelé.
O INÍCIO.
O ano era 2007 e aos 15 anos de idade, Kétlen deixou Rio Fortuna para participar de uma avaliação no Santos. Por intermédio de sua mãe, que soube do teste através de uma revista, saiu de casa confiante a fazer história no esporte mais popular do país. A avaliação contou com 800 meninas e apenas duas foram aprovadas, sendo uma delas justamente Kétlen. Desta forma, deu os primeiros passos na carreira profissional. O primeiro gol veio ainda naquele ano. A atacante permaneceu no clube até 2011, quando se transferiu para o Bangu, do Rio de Janeiro. Passagens por Vitória, de Santo Antão/PE; Centro Olímpico e pelo futebol internacional – Vithu, da Suécia e Boston, nos Estados Unidos, também fazem parte de sua trajetória. Já em 2015, retornou ao Santos. “Aí o coração falou mais alto. Eu sempre quis voltar (para o Santos), era o meu sonho. E ao receber o convite, aceitei prontamente”, disse. Com as Sereias da Vila, a camisa nº 17 foi bicampeã paulista (2007 e 2018); campeã da Copa do Brasil (2008); da Libertadores (2009) e campeã brasileira (2017). Já pela Seleção brasileira, K-17 disputou a Copa do Mundo Sub-20 em 2010 na Alemanha e foi medalha de prata nos Jogos Pan-americanos em 2011 em Guadalajara, no México.
Ps: no registro (á esquerda), ainda com 15 anos e o primeiro gol; já a direita, agora aos 28, o centésimo.
Por: Rodolfo Devilla!
- Anúncio -
-Anúncio-