terça-feira, 2 junho 2020 - 5:18

Em sessão especial, Alesc homenageia produtores catarinenses de cachaça

A Assembleia Legislativa promoveu, na noite desta terça-feira (17), uma sessão especial em homenagem à Associação Catarinense de Produtores de Cachaça e Aguardente de Qualidade (Acapacq) e aos associados à entidade. A sessão foi motivada pelos resultados obtidos pelos produtores de Santa Catarina nas edições de 2017, 2018 e 2019 da Expocachaça, o maior e mais importante evento mundial do setor, realizada anualmente em Belo Horizonte (MG).

“Dos 56 prêmios, Santa Catarina levou 13. Por isso o nosso reconhecimento a todos aqueles que cultivam a cana de açúcar e a transformam nesse líquido precioso que tem sido reconhecido mundialmente”, afirmou o deputado Rodrigo Minotto (PDT), que presidiu a sessão.

Para o presidente da Acapacq, Leandro Batista de Melo Silveira, o reconhecimento pela Alesc é importante para um setor que, na visão dele, por muitos anos foi discriminado. “A cachaça não tem importância só social, mas também cultural, econômica e de saúde pública”, ressaltou Silveira. “Aqui estamos homenageando os produtores honestos de cachaça, que se preocupam com as boas práticas de fabricação e respeitam aquilo que vai no copo do consumidor”, completou o presidente.

Segundo Silveira, as premiações catarinenses na Expocachaça representam oportunidades de crescimento para os produtores do Estado, principalmente para os que estão na informalidade – de acordo com ele, Santa Catarina tem apenas 26 produtores formalizados, contra cerca de 1,2 mil informais. “Mostra também que as melhores cachaças do Brasil são as catarinenses. Quantidade industrial é São Paulo; em quantidade produzida artesanalmente, Minas Gerais. Mas em qualidade é Santa Catarina”, garantiu.

Tributação
Em seu discurso feito em nome dos homenageados, o produtor Selito Bordin, de Xanxerê, lembrou o início da participação dos catarinenses na Expocachaça e a sensação causada pela boa qualidade do produto de Santa Catarina. “Nós imaginávamos que poderíamos ter um reconhecimento, mas ficamos surpresos com o resultado – e os mineiros, assustados, porque têm o domínio do mercado da cachaça artesanal no Brasil”, disse.

Ele, no entanto, alertou para a necessidade de uma legislação tributária adequada, além de apoio em outros itens importantes para a produção. Para ele, há um grande número de produtores informais que não se registram “porque não suportam a burocracia, a complexidade para se fazerem legais”. “Felizmente, a partir de 2018 pudemos voltar ao Simples, o que nos permite trabalhar com tributação pagável, razoável. Mas precisamos de apoio logístico, de visibilidade, de tributação que nós, artesanais de pequeno porte possamos suportar”, afirmou.

Ele defendeu a fiscalização do Ministério da Agricultura, mas com menos burocracia. “É importante sermos fiscalizados, porque isso nos faz aprimorar os processos, cuidar com zelo da produção; e sem esse zelo, essa qualidade não seria reconhecida. Precisamos que exista fiscalização, controle do ministério, mas precisamos desburocratizar os processos”, finalizou. Confira aqui mais fotos do evento.

Homenageados

  • Leandro Batista de Melo Silveira, presidente da associação catarinense de produtores de cachaça e aguardente de qualidade (acapacq);
  • Esperidião Amin, senador da República;
  • Archimedes Naspolini Filho, escritor e professor;
  • Frederico Spézia, fundador da Cachaça Artesanal Spézia;
  • Osmar Rech, fundador da Destilaria Rech;
  • Osvaldo Bylaardt, fundador do Aalambique Bylaardt;
  • Adolar Wruck, fundador da Cachaçaria Wruck;
  • Carlos Henrique Ramos Fonseca, diretor-superintendente do Sebrae-SC;
  • Roberto Zimmermann (in memoriam),  fundador da Xanadu Agroindústria de Bebidas Premium;
  • José Francisco Schmitt, (in memoriam), fundador da cachaça moendão;

Homenageados com certificados pelos resultados obtidos na Expocachaça de 2017, 2018 e 2019

  • Orécio Rech, representante da Associação dos Produtores de Cachaça Artesanal de Luiz Alves (Apcala);
  • Joelson Manoel Cardoso, representante da Cachaçaria Aretusa;
  • Márcio Van Den Bylaard, representante do Alambique Bylaardt;
  • Tarcisio Godinho, representante da Cachaça Cafundó da Serra;
  • André Walzburger e Rafael Arnold, representantes da Destilaria Rex Ltda;
  • José de Medeiros Nandi, representante da Multidrink do Brasil Ltda;
  • Lucas Mariot Nesi, representante da Cachaça Giuseppe;
  • Henrique Perin Orben, representante da Cachaça do Conde;
  • Samir Bompani e Irineu Bompani Neto, representantes da IB – Indústria e Comércio de Bebidas Ltda;
  • Odison Rech, representante da Destilaria Rech;
  • Denilson e Robson Wruck, representantes da Cachaçaria Wruck;
  • Ricardo Sorato e Celi Sorato, representantes da Cachaça Imigrante,
  • Cristiano da Silva, representante da Cachaça Morauer;
  • Hélio João Machado e Sandra Regina Porto Machado, representantes da Cachaça do Imperador;
  • Carlos Rogério Schmitt, representante da Cachaça Moendão;
  • Selito Antônio Bordin, representante da Cachaça Refazenda;
  • Roberto Zimmermann Junior, representante da Xanadu Agroindustria de Bebidas Premium;
  • Orécio Rech, representante da Flor da Cana Cachaçaria;
  • Diogo Spiess, representante da Cachaça Tessarollo;
  • Gabriel Batista Rodrigues Silveira, representante da Lalua.
Marcelo Santos
AGÊNCIA AL

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-