6 março 2021 - 7:42

CPMA de Criciúma se reinventa na pandemia para tratar da saúde mental de beneficiários

A Central de Penas e Medidas Alternativas (CPMA) da comarca de Criciúma, originalmente implantada com o objetivo de acompanhar, monitorar e fiscalizar o cumprimento das penas restritivas de direitos e medidas alternativas, precisou reinventar-se em 2020, após as restrições impostas pela pandemia de Covid-19 e a suspensão dos atendimentos presenciais. Neste sentido, focou sua atenção para o atendimento virtual dos beneficiários do serviço, por telefone ou e-mail, com ênfase nos aspectos ligados à assistência social e saúde, inclusive mental, e nas medidas preventivas para enfrentamento da pandemia.

E o quadro enfrentado comprovou o acerto na definição desta política. Segundo a coordenadora imediata da CPMA de Criciúma, psicóloga Regiane Medeiros Gonçalves, durante o contato com os beneficiários e suas famílias a equipe se deparou com os impactos sociais, econômicos e psicológicos da pandemia. “Devido ao isolamento social ouvimos relatos de separação entre casais; alto índice de desemprego, onde muitos foram morar com parentes ou amigos; comprometimento da saúde mental com episódios de ansiedade, solidão, e temor pelo risco do adoecimento; dificuldade em obter a medicação psiquiátrica e casos de ideação suicida. Concluímos que os contatos foram fundamentais para que os efeitos da pandemia fossem minimizados”, avalia Regiane.

Através de contato telefônico, foi realizado o mapeamento dos beneficiários acompanhados pela CPMA de Criciúma, considerados do grupo de risco para o Covid-19, assim como os avaliados como alta complexidade, com o objetivo de orientá-los quanto ao acesso à saúde, educação, trabalho e renda, assistência social e auxílio emergencial. Foram registrados 120 encaminhamentos para rede de proteção. A situação melhorou apenas em outubro, quando foi reiniciado o cumprimento das prestações de serviço à comunidade pelos beneficiários da CPMA nas instituições parceiras, obviamente com respeito aos cuidados preventivos a covid-19. Durante o ano de 2020, a CPMA de Criciúma realizou 1596 ligações aos beneficiários e 780 contatos com as instituições parceiras, além de 77 visitas domiciliares e 320 visitas institucionais.

A CPMA completou oito anos de instalação na comarca de Criciúma no mês de novembro. O programa das CPMAs, implantado pela Secretaria de Administração Prisional e Socioeducativa, com parceria do Tribunal de Justiça e Ministério Público, através do termo de cooperação, realizou no mês de dezembro a instalação de três novas unidades em Jaraguá do Sul, Palhoça e Lages. Agora, já são 11 centrais no Estado.

Fonte: TJSC

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-