29 outubro 2020 - 10:24

Coronavírus: higiene e cuidados para não contaminar alimentos

Nutricionista do Fort Atacadista Chapecó Letícia Tizziani.

Manter a cozinha limpa e adotar outras medidas de higienização são indispensáveis, principalmente neste período de combate a pandemia do novo Coronavírus.  A nutricionista do Fort Atacadista Chapecó, Letícia Tizziani, destaca que não há pesquisas que comprovem a transmissão da Covid-19 por alimentos. Entretanto, evidencia que as embalagens podem ser meios de contaminação se manuseadas por pessoas infectadas. Antes de abri-las devem ser desinfetadas com água e sabão ou álcool em gel.

Recomenda-se também não consumir produtos se as embalagens estiverem abertas. Para evitar o contágio por objetos e superfícies, a orientação é mantê-los limpos, secos e sem resíduos de alimentos. Assim como os ambientes, os utensílios, eletrodomésticos e área de manipulação de alimentos devem ser constantemente sanitizados. “O vírus pode permanecer ativo durante horas ou até dias em móveis, eletros e utensílios”, salienta a nutricionista.

Além de lavar bem as mãos ao preparar as refeições, a higienização de alimentos é fundamental. Para vegetais folhosos orienta-se separar, lavar e remover as folhas danificadas. Após, devem ser deixadas em imersão com uma colher de sopa de hipoclorito de sódio, diluída em um litro de água, de 15 a 20 minutos. Em seguida, os vegetais devem ser lavados novamente com água tratada e corrente. Para frutas e vegetais não folhosos o procedimento é o mesmo.

“Muitas pessoas supõem que o vinagre é eficaz para eliminar bactérias no preparo das saladas. Isso ocorre devido a experiência sensorial que ele causa, pois acredita-se que o condimento tem essa função devido sua acidez. Mas não é verídico. Os alimentos devem ser bem higienizados, o cuidado reflete também na escolha dos sanitizantes – recomendado a base de cloro, pois outras substâncias em sua composição podem ser tóxicas ao organismo”, explica Letícia.

Outro fator indispensável é manter os alimentos refrigerados e aquecidos  sob temperatura adequada, quentes acima de 60ºC e frios abaixo de 5ºC. Para consumir pela segunda vez alimentos cozidos é essencial aquecê-los e evitar deixá-los com vegetais crus, devido ao risco de contaminação cruzada. A nutricionista também reforça a importância da limpeza de recipientes utilizados para o aquecimento.  “É crucial criar essa educação de cuidado e de higiene. O álcool 70%, por exemplo, inativa os vírus em aproximadamente um minuto. São medidas ideais para combater a pandemia e precaver doenças ou contágio por alimentos”.

DTA

De acordo com Letícia, a higiene no manuseio de alimentos é fundamental não somente em época de pandemia. “O combate da Covid-19 exige um cuidado extra. Porém, existem outras Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA) e podem apresentar sintomas comuns como náuseas, dores abdominais, diarreia, febre e falta de apetite.  O diagnóstico e o tratamento são realizados conforme cada caso. Por isso, as melhores alternativas são adotar medidas de prevenção, beber bastante água e preparar as refeições corretamente”, afirma a nutricionista.

DELIVERY

Para quem não tem tempo de preparar as refeições ou deseja pedir lanche por aplicativo, é recomendado, se viável, optar por embalagens confeccionadas de papel (desde que o mesmo não seja de material reciclado, devido ao risco de contaminação), pois o vírus sobrevive mais tempo em plástico e alumínio. Para ajudar na prevenção de familiares e de trabalhadores ativos em atividades essenciais, é orientado, na medida do possível, o pagamento por App para evitar o contato pessoal.

 

Por MARCOS A. BEDIN – MB Comunicação Empresarial/Organizacional

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
a href="#">
-Anúncio-