28 setembro 2020 - 3:27

Conheça história da comunidade de Oratório, em Orleans

A comunidade de Oratório herdou tal nome de um pequeno local de orações, construído pelos tropeiros que desciam do planalto serrano em direção à Laguna e passavam a noite na região. O censo de 1896 contou 17 famílias em Oratório, totalizando 86 pessoas, certamente provenientes da região de Laguna, Imaruí e Tubarão. Os primeiros imigrantes italianos a comprarem terras na região foram os irmãos Domingos e Basílio Cesconetto, em 1894. Depois, vieram os Tezza, Furlan, Sprícigo, Canever, Bussolo, Mazzuco, Caciatori, Ceconi e outros.

A região esta localizada entre o litoral e o planalto serrano, e cortada pela Estrada de Ferro Dona Tereza Cristina, tornou-se um importante interposto comercial. A região ganhou grande desenvolvimento a partir de 1910. Em 1914, Domingos e Basílio Cesconetto encabeçaram um movimento para a construção de uma capela. Enquanto a capela não existia, era na casa dos Cesconettos que acontecia a reza do terço, junto a um pequeno oratório particular com um quadro de São Paulo Apóstolo, que pertencia à Dona Antônia Checheto Cesconetto. São Paulo tornou-se o padroeiro da comunidade.

Aos 16 de fevereiro de 1917, Dom Joaquim Domingues de Oliveira de passagem por Orleans, autorizou que no oratório particular do senhor Cesconetto, fosse celebrada missa uma vez por ano, por ocasião da festa do padroeiro São Paulo Apóstolo. A Missa deveria ser celebrada no oratório e não na capela, embora esta já tivesse sido construída e inaugurada em 27 de janeiro de 1917. Havia pelo que parece, uma interdição talvez por conta do conflito estabelecido com as famílias do Km 107.

Somente em 1928, atendendo a um abaixo-assinado, Dom Joaquim Domingues de Oliveira autorizou a formação do Conselho de Fábrica da Capela e o uso da mesma para funções do culto. Em 1938, foi fundado o Apostolado da Oração do Sagrado Coração de Jesus. Em setembro de 2008, a comunidade comemorou festivamente o cinquentenário de fundação desse apostolado.

No ano de 1954, próximo à capela de Oratório, foi construída uma gruta em homenagem a Nossa Senhora de Lourdes, cujos construtores foram os senhores Benevenuto Furlan, Aristides Tezza, Vitório Canever e Otílio Sprícigo.

A imagem de Nossa Senhora foi doada pela comunidade. No local, a água brota por entre as pedras. Conta-se que numa das enchentes do Rio Tubarão, o local foi coberto pelas águas. Um tronco de árvore protegeu a entrada da gruta e a imagem de Nossa Senhora permaneceu intacta.

Por: Gerciana Ascari

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-