23 setembro 2020 - 1:13

Com a pandemia, número de mortes por infarto e AVC cresceram 31% no Brasil: saiba como prevenir

Todos os anos, o mês de setembro é dedicado a relembrar a importância dos cuidados com a saúde do coração. O Setembro Vermelho é um movimento global que reúne hospitais, instituições e profissionais em torno do tema. Em 2020, com a pandemia, este período ganhou ainda mais importância. Isso porque o número de mortes por infartos e AVCs cresceu 31% no Brasil desde o aumento do contágio pelo coronavírus, segundo uma pesquisa da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) em parceria com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

De acordo com o cardiologista e um dos diretores da Cardioprime, Humberto Tridapalli, a demora na busca do atendimento é um dos motivadores do aumento nos números. “Nosso grande trabalho é pela prevenção: quanto mais as pessoas se conscientizarem sobre a importância de estar atento, fazer os exames rotineiramente e ter hábitos saudáveis, menos elas chegarão às emergências com um quadro irreversível”, comenta.

Prevenção

Todos os hábitos impactam diretamente no quadro cardiovascular: rotina de exercícios, alimentação, consumo de álcool e cigarro, estresse. Por isso, a prevenção aos problemas do coração não está associada apenas a uma ação. “Por isso que cuidar da saúde do coração é prezar pela vida”, resume Humberto.

Além de zelar por esses hábitos, é importante conversar com o cardiologista de confiança para estabelecer uma periodicidade de exames. Não existe uma regra para o volume de idas ao consultório. Isso varia de acordo com o histórico do indivíduo e da família, além dos sintomas e hábitos que ele cultiva. Mas é ideal que esse mapeamento seja realizado e cumprido.

Os exames mais comuns são o eletrocardiograma, exame ergométrico e as checagens do hemograma.

Quando procurar um hospital 

Um dos pontos essenciais para evitar a mortalidade por infartos e AVCs é procurar o hospital ao perceber os sintomas de que algo não está bem. “Dor no peito – em movimento ou não – nunca é um bom sinal”, explica Humberto. “Caso ela evolua ou seja acompanhada de formigamento no braço esquerdo ou dores na região do pescoço, é preciso procurar um atendimento o mais breve possível”, complementa.

Por conta do medo do contágio pelo novo coronavírus, os pacientes chegam ao hospital em situação cada vez mais grave. “Como a evolução do quadro é rápida, o tempo de chegada é decisivo para que o tratamento consiga salvar a vida do paciente”, comenta. Todos os hospitais seguem protocolos de segurança recomendados pelas organizações de saúde.

Sobre a Cardioprime

Fundada em 1992, a Cardioprime é um dos centros mais avançados em atendimento cardiológico do Sul do Brasil. São 18 médicos especialistas em várias frentes da cardiologista e uma estrutura com equipamentos de ponta para diagnóstico, tratamento e prevenção.

Responsável pelo Pronto Atendimento do Coração do Hospital Santa Catarina, onde também está localizada a clínica e o Centro de Hemodinâmica, a Cardioprime tem nível de Acreditação Plena pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), entidade que audita serviços em saúde.

Todas as informações estão disponíveis no site www.cardioprime.med.br.

Com informações de Marina Melz

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-