4 agosto 2021 - 10:23

Celebração lembra 119 anos de falecimento do Pe. Vittorio Pozzo

A santa missa acontece em Rio Pinheiros Alto, local onde o corpo do padre esta sepultado

A comunidade de Rio Pinheiros Alto será palco no próximo domingo, dia 06 de fevereiro de 2021, de missa em memória aos 119 anos de falecimento do Padre Vittorio Manuel Pozzo.

A Celebração Eucarística acontecerá na capela Imaculada Conceição as 9:00 horas.

Orleans mantem viva a memória a curta permanência do padre italiano Vittorio Emanuele Pozzo, no início do século passado, com a preservação do túmulo, museu e até uma instituição focada na preservação do patrimônio histórico e cultural.

Natural de Butigliera D’Asti, região do Piemonte (Itália), ele chegou ao Brasil em dezembro de 1900 e faleceu em fevereiro de 1902. Sua morte, considerada um mistério por décadas, só seria esclarecida pelo depoimento de um imigrante polonês gravemente enfermo.

Saiba Mais:

Padre Vittorio Pozzo perdeu a vida enquanto banhava-se na comunidade de Ilha Grande  em Grão- Pará. O motivo do acidente foi um mistério durante décadas. O acontecido só foi esclarecido anos mais tarde, quando um imigrante polonês gravemente enfermo revelou os fatos.

Ele relatou que quando era criança percebeu que o religioso parou para nadar no Rio Pequeno, na localidade de Ilha Grande, quando estava a caminho da comunidade de São João Batista, em Grão Pará. Por brincadeira, ele arremessou uma pedra para assustá-lo. Esta atingiu o padre na cabeça, ele desmaiou e pereceu afogado à margem.

Na comunidade de Rio Pinheiros Alto, em Orleans, está o túmulo, um museu e o Instituto Cultural Padre Vittorio Pozzo, fundada no ano de 2001, com intuito de preservar o patrimônio histórico e cultural, manter viva entre os habitantes a curta permanência do padre italiano Vittorio Emanuele Pozzo no início do século passado.

No cemitério da comunidade de Rio Pinheiros Alto, em Orleans, é possível também ainda observar outros túmulos centenários, que marcam a história dos imigrantes, pertencentes às famílias Redivo, Debiasi, Coan, Menegasso, Zomer, Perin, Ascari e Crocetta entre outras. A comunidade é berço da colonização italiana em Orleans. Em 9 de janeiro de 1884, essas famílias davam início a uma grande história que é preservada pelos seus descendentes de diversos sobrenomes conhecidos na Centenária Orleans e região.

Por Gerciana Ascari

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-