24 julho 2021 - 2:07

Braço do Norte: os desafios da gestão em ano eleitoral e as expectativas de avanço

 

Os cenários político e econômico nacionais são acompanhados de perto pelas equipes de gestão dos municípios, ainda mais porque, neste ano, acontecem as eleições municipais, a fim de escolher novos prefeitos e vereadores em todo o Brasil. Porém, ao mesmo tempo em que gera expectativas, o processo eleitoral também preocupa as prefeituras, tendo em vista a aproximação do prazo final para entregar tudo o que foi prometido no início da gestão, a capacidade de investimentos e captação de recursos, além, é claro, da prestação de contas.

Estas são algumas das preocupações da Administração Municipal de Braço do Norte, por exemplo, onde, segundo o chefe de gabinete da Prefeitura, Ramon Beza, o principal desafio da gestão pública, em 2020, são, justamente, as eleições municipais.

“Como é costume de as gestões falarem, o ano eleitoral é um ano de oito meses, então é um ano ruim, atípico para a gestão pública municipal e que atrapalha, sim, e muito os planejamentos de uma gestão. Por isso, somos a favor de que as eleições sejam unificadas – juntando nacional, estadual e municipal – e aconteçam a cada cinco anos. Porém, apesar disso, temos uma boa perspectiva de aumento de arrecadação através de ICMS, de outras fontes também e, como o governo nacional já está no seu segundo ano, esperamos um incremento na arrecadação municipal através de emendas parlamentares e de recursos federais”, pontua Beza.

Inclusive, em relação ao cenário político nacional, ele afirma que, como município, a análise é de uma perspectiva positiva, mesmo sendo ano eleitoral. “Tivemos uma vitória em 2019 que foi a Reforma da Previdência. Temos a sinalização de algumas privatizações, de outras reformas, como a Reforma Tributária e, mais para frente ainda, a Reforma Eleitoral. São reformas estruturantes necessárias para o desenvolvimento do país”, destaca.

Expectativas de avanço

Para o desenvolvimento dos municípios e do país como um todo é necessário que a economia nacional esteja forte, o que, conforme o chefe de gabinete, já vem acontecendo. “Vemos uma política econômica bem positiva e já estamos recebendo recursos externos, visitas e um interesse econômico que antes não havia. A exemplo de Braço do Norte, que recebeu representantes da Câmara de Comércio Brasil-China, o que abriu portas para exportações”, conta Beza.

Com base nisso, as expectativas de avanço para 2020 e até 2021 também são positivas, sendo que a esperança maior é de receber mais investimentos externos, com abertura de novos mercados no exterior. “Como município pequeno da região Sul do país e grande produtor de suínos, de leite, de alevinos, esperamos que Braço do Norte cresça muito e tenha entrada de grandes quantias de dinheiro, aumentando, assim, a arrecadação e o poder monetário de investimentos da gestão pública em forma de serviços públicos para os munícipes”, ressalta.

Uma mãozinha para o desenvolvimento

Em meio a tantos desafios para a administração pública, o Programa Cidade Empreendedora surge com o objetivo de auxiliar e alavancar o processo de desenvolvimento dos municípios. Para isso, faz uso de soluções técnicas e práticas voltadas aos gestores e, também, aos munícipes. Idealizado pelo Sebrae/SC, um organismo de apoio para pequenos empreendedores, o projeto tem, ainda, a finalidade de criar um ambiente favorável aos pequenos negócios.

Braço do Norte aderiu ao Cidade Empreendedora no ano passado; desde então, tem recebido consultorias do Sebrae/SC e colocado em prática diversas mudanças e iniciativas, a fim de melhorar os serviços prestados pela Prefeitura e facilitar a vida dos contribuintes, principalmente no que diz respeito ao empreendedorismo na cidade. O projeto conta com mais de 20 soluções, as quais serão implantadas na cidade ao longo de dois anos.

“O programa tem nos auxiliado de diversas formas, principalmente com as consultorias e na área de desburocratização. Também no setor de compras, pois já conseguimos evoluir no montante de compras locais e mudamos o sistema de compras governamentais. A Sala do Empreendedor vem funcionando muito bem, tirando da informalidade centenas de Microempreendedores Individuais (MEIs) e isso já gerou resultados bem aparentes, com o crescimento de novas empresas na cidade. Também já conseguimos formalizar uma empresa em menos de cinco dias, coisa que antes fazíamos em 100 dias, com o dobro de burocracia, dobro de papel, o que não é mais necessário, graças a esses trabalhos do Sebrae e do Cidade Empreendedora”, avalia Beza.

O Programa Cidade Empreendedora foi criado para o desenvolvimento do município como um todo, oferecendo desde soluções para a gestão até benefícios para micro e pequenas empresas existentes e oportunidades para a abertura de novos negócios. Trata-se de um programa-padrão do Sebrae, mas também flexível de acordo com a realidade e necessidade de cada prefeitura. No caso, os atores do desenvolvimento são o prefeito, secretários e outros agentes do Poder Público junto aos cidadãos.

Colaaboração: : Vanessa Amando | NBCom

 

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-