domingo, 9 agosto 2020 - 4:34

Artigo: Os direitos de quem trabalha em casa

A abrupta e constante evolução tecnológica que influencia praticamente tudo o que está ao nosso entorno vem causando significativas mudanças nas vidas das pessoas e afetando todas as relações humanas, tais como a forma de se comunicar, de realizar compras ou vendas, de se vestir, de dirigir, de viajar, entre muitos outros exemplos.

Estas  mudanças também vêm afetando as relações de trabalho que passaram a ser mais dinâmicas e constantes, com a necessidade de adaptação das empresas tanto na sua relação com os clientes e parceiros quanto em relação a sua própria estruturação e organização.

Tais mudanças estão possibilitando que atividades antes realizadas unicamente dentro da estrutura física da empresa possam agora ser realizadas em qualquer local, como na própria casa do empregado “home office”. Com isso, o teletrabalho se faz cada vez mais presente no dia a dia das empresas brasileiras, principalmente às ligadas à área da tecnologia (processamento de dados, startups, sistemas etc.), principalmente após a sua regulamentação pela reforma trabalhista.

Para que seja possível a realização deste tipo de serviço, há apenas a necessidade de conexão com a internet e o uso de ferramentas que ligam o trabalho realizado no espaço físico da empresa com a residência do trabalhador. A principal característica do teletrabalho é o labor realizado preponderantemente fora do ambiente físico da empresa e com a utilização de tecnologias de informação e de comunicação.

Existe também a necessidade de o empregador instruir os colaboradores sobre as precauções necessárias para evitar acidentes e/ou doenças laborais ocorridas fora do seu estabelecimento, como na própria casa do empregado.

Como vantagens, o empregado contratado para essa modalidade, além de receber o amparo da legislação laboral, evita a perda de tempo com deslocamentos (residência-trabalho e vice-versa) e pode ter uma maior autonomia, estabelecendo seus próprios horários de trabalho e assim ter mais tempo livre com sua família, ajudando, inclusive, na diminuição do risco do surgimento de doenças laborais.

Assim, que o uso das tecnologias nas relações de trabalho possui um papel fundamental atualmente e podem sim ser uma grande vantagem tanto para os empregadores como para os empregados, bastando apenas saber utilizá-la da forma correta.

Por Handerson Rodrigues, advogado – Bressan Bion Rodrigues

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-