25 janeiro 2021 - 1:59

Acafe participa de reunião com vice-presidente para discutir a educação superior no Brasil

O Fórum de Presidentes do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras realizou, na manhã desta segunda-feira (30/11), uma importante reunião com o vice-presidente da República, Hamilton Mourão. De forma virtual, os representantes, entre eles o presidente da Associação Catarinense das Fundações Educacionais (Acafe) e reitor da Unochapecó, professor Claudio Jacoski, conversaram sobre a situação das Instituições de Ensino Superior (IES) do Brasil e a importância de uma atuação conjunta com o Governo Federal.

Na oportunidade, foram apresentados dados referentes à educação superior no país, que vem sofrendo muito com a pandemia e os efeitos da economia nos últimos anos. De acordo com o professor Claudio Jacoski, as instituições comunitárias, confessionais, filantrópicas e particulares, que representam quase 90% das IES do país, e mais de 75% das matrículas, são as mais afetadas pela situação enfrentada com a Covid-19. “Notamos uma sensibilidade por parte do vice-presidente quanto ao tema. As instituições precisam, principalmente, de uma linha de financiamento para estudantes, pois o antigo Fies já não tem nenhuma aderência com o modelo comunitário”, explica.

O reitor do Centro Universitário Barriga Verde – Unibave, Guilherme Valente de Souza, comentou que a reunião dizendo que a instituição está compromissada com a qualidade da educação. “Este encontro com o Vice-Presidente mostra que nossas instituições comunitárias, assim como nosso sistema comunitário ACAFE, deixa claro sua importância para a Educação Superior no Brasil. O Unibave, como instituição de ensino comunitária está junto neste compromisso com a educação de excelência para nosso entorno”, disse.

Outra questão discutida foi a transformação de dívidas e de impostos das instituições com o governo federal em bolsas de estudo. Uma forma de oportunizar o acesso ao ensino superior a milhares de jovens, que muitas vezes não conseguem vagas em instituições públicas, principalmente aqueles de baixo poder aquisitivo, que perdem a oportunidade de acesso para os que teriam condições de pagar mensalidade. “Nosso vice-presidente colocou-se à disposição para conversar com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e com o ministro da Educação, Milton Ribeiro, para encontrar uma saída para as propostas que apresentamos”.

O presidente da Acafe considerou a reunião muito produtiva. “Entendemos que vamos dar passos muito positivos daqui para frente, principalmente nessa situação de apoio às instituições com dificuldade, e abertura de uma linha de financiamento para estudantes, porque notamos que o número de matriculados e estudantes nas IES vêm caindo muito nos últimos anos, principalmente pela necessidade de financiamento. As instituições comunitárias existirão se rapidamente uma política de financiamento da educação superior for criada. A própria pandemia exigiu que as organizações da educação superior do Brasil começassem a agir de forma integrada, e assim, produzindo o fortalecimento destas entidades, como é o acaso da Acafe, que vem se destacando e levando a força e a história de um modelo diferenciado no país”, finaliza o professor.

Integram o Fórum, a Associação Brasileira das Instituições Educacionais Evangélicas (ABIEE), a Associação Brasileira das Instituições Comunitárias de Educação Superior (Abruc), a Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem), a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), a Associação Catarinense das Fundações Educacionais (Acafe), a Associação Nacional de Educação Católica do Brasil (Anec), a Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup), o Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas (Comug), o Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub) e o Fórum das Faculdades Comunitárias (Forcom).

Ascom/Acafe

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-