24 outubro 2021 - 1:27

A trilogia do amor, da paixão e do desejo

Não posso fugir

Não posso fugir da verdade…

Crueldade! Amo sem vaidade.

Meu corpo intacto, padece….

Vejo-lhe distante, sinto saudade.

Nesse meu querer adormeço!

Sinto-me serva desse desejo.

Guardo n’alma infindo segredo,

Tocar-lhe e no oculto buscar.

Madrugada afora não lhe vejo.

Resignei! Finjo ser rude, forte,

De sua boca palavras sem nexo!

No meu coração tanto sentimento,

Indelével! Como não querer, almejar,

Amo-lhe, em todo momento…!

MEU ANJO

Um anjo de luz me abraçou!

Aceitei, pois estava ferida.

Sem permissão me beijou,

Sua essência transbordou.

Naquele dia conheci o amor

Minha dor se calou, o senti.

Minha alma se alegrou,

Despiu-me sem permissão.

Hoje, sinto sua presença

Chega sem que eu perceba,

Em minha poesia, ou crença.

Meu anjo, onde moras!?

Coração incauto implora,

Traz-me magia na poesia…!

Refém

Fez-me refém de tua loucura,

Grito contido, desejo omitido.

Preciso possuir teu corpo.

     Insanidade!

***

És a primícias que ofereço aos deuses,

Mistério que toma meu corpo,

Invadi meus desejos libidinosos,

Transbordando de vasta saudade.

Mas não lhe sinto,

Se esconde em versos profanos,

 Heresia, me faz teu atroz pecado!

***

Imploro!

 Deixe-me sentir teu corpo sobre o meu.

 Diga-me se é loucura, fantasia!?

 Não me torture.

Afasta-se do nada, deseja-me intensamente,

E ignora-me. Juro!

 Não consigo desvendar tuas inúmeras faces,

 Nem ao menos lhe esquecer.

***

Complexidade que alimenta,

Paixão que aos poucos machuca,

Minha cura, sem juras…!

    Desatino ou destino!?

Fabiane Braga Lima é poetisa em Rio claro S.P.

 Contato: [email protected]

- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
-Anúncio-