30 novembro 2020 - 8:55

Celesc investe R$ 90,6 milhões no sistema elétrico do Sul catarinense

A Celesc está realizando melhorias no sistema elétrico em toda a sua área de concessão. No Núcleo Sul (Nusul), que atende às regiões AMUREL, AMREC e AMESC, estão sendo investidos R$ 90,6 milhões em obras que vão beneficiar os 27 municípios, sendo R$ 1,6 milhão  aplicados na rede que atende às propriedades rurais da região, por meio do Programa Celesc Rural.

Serão instalados equipamentos religadores, usados para o restabelecimento da energia elétrica, desligada por segurança com o toque da vegetação sobre os cabos alimentadores, além de bancos reguladores que mantém a qualidade da tensão do início do sistema até a sua chegada ao consumidor. “Esses investimentos vão aumentar a automação da operação das redes de distribuição de energia, agilizando a recomposição do sistema em caso de ocorrências, reduzindo o impacto, ou seja, menos unidades consumidoras desligadas”, explica o presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins.

No pacote de obras também estão previstas as ampliações das subestações (SEs) Laguna, que vai substituir um transformador de 26MVA para 40MVA; Sombrio, serão instalados equipamentos para receber uma nova linha de transmissão; Içara e Siderópolis vão passar de 16MVA para 26MVA; e a construção da Subestação Capivari de Baixo com potência inicial de 26MVA. Já foram ampliadas as SEs Garopaba de 7,5MVA para 15MVA e Imbituba de 16MVA para 26MVA.

“A ampliação na SE imbituba reforça a SE Garopaba até que a nova esteja concluída, além de atender a Cooperativa Paulo Lopes. Para 2022 está prevista ainda a construção de uma nova subestação em Garopaba substituindo a atual para melhorar a qualidade da energia na região”, explicou a gerente do Núcleo Sul, Bárbara Cittadin Ceron. “Com essas melhorias, 309,2 mil unidades consumidoras serão beneficiadas com mais qualidade na energia para atender a crescente demanda da região”, concluiu a gerente.

A região do Extremo Sul vai receber ainda a nova Subestação Araranguá que está em fase de projeto e será construída entre os municípios de Araranguá e Balneário Arroio do Silva. “A obra vai melhorar o fornecimento de energia, principalmente, durante a temporada de verão, quando o consumo aumenta consideravelmente”, destaca o gerente da Divisão Técnica da Celesc Criciúma, Zulnei Casagrande.

Para reforçar o sistema elétrico entre as subestações da Região Sul, foi construída a nova linha de distribuição (LD) Tubarão – Sangão de 69 kilovolts (kV) de tensão, que já está em operação. E está em licitação a LD Forquilhinha RB – Turvo 3º Circuito de 69 kV, Capivari de Baixo de 138 kV e Ermo – Sombrio 2º Circuito de 69 kV, como também a conexão com a nova subestação Tubarão Sul, da Rede Básica (230.000 V).

Novos alimentadores

Dois novos alimentadores que partem da Subestação Forquilhinha para atender a região sul de Criciúma, já estão em construção. A obra, orçada em R$ 2,5 milhões vai dar mais confiabilidade e robustez ao sistema que atende cerca de 30 mil unidades consumidoras. Da mesma forma, R$ 1,45 milhão está sendo aplicado em um outro alimentador, de 13,8 kV, para atender o município Arroio do Silva e a região central, Foz do Rio Araranguá e Morro dos Conventos, em Araranguá.

Para Zulnei Casagrande, esses novos alimentadores trazem uma melhoria significativa para os consumidores, afinal, a medida terá um impacto importante nos índices de duração e frequência de falta de energia na localidade. “Além de beneficiar o consumidor, a obra é de extrema importância do ponto de vista técnico, pois vai ajudar a distribuir as cargas para diferentes alimentadores do conjunto, equilibrando o carregamento dos transformadores da Subestação Araranguá, além de contribuir para a recursividade, ou seja, a transferência de carga para outro alimentador, em caso de contingências na região”, explicou.

Outro aspecto positivo com a instalação da nova rede de distribuição de energia é o fato de ter sido feita com cabos compactos e isolados, que são menos suscetíveis a ocorrências de objetos e vegetação na rede. “Com o sistema concluído, até o final do ano faremos novos remanejamentos de carga, visando a melhoria da rede para atender a demanda da temporada de verão, principalmente para o Balneário Arroio do Silva”, finalizou Zulnei.

Programa Celesc Rural

Somado a essas melhorias, o Programa Celesc Rural na região vai beneficiar cerca de 460 propriedades rurais, com a substituição de rede monofásica para trifásica e cabos nus por protegidos, que garantem mais energia e segurança, com menos interrupções no fornecimento, para o desenvolvimento do agronegócio.

Em todo o estado, até meados de 2021 serão investidos R$ 151 milhões em mil obras que integram o Programa Celesc Rural, especialmente a substituição de 2,5 mil quilômetros de redes monofásicas nuas por redes monofásicas ou trifásicas com cabos protegidos. Cerca de 135 mil propriedades rurais catarinense serão beneficiadas.

Colaboração: Rafael Vieira Celesc 
- Anúncio -
-Anúncio-
-Anúncio-
a href="#">
-Anúncio-